Defesa & Geopolítica

Mattis admite que não há nenhuma evidência de que a o governo sírio tenha utilizado gás de veneno em seu povo

Posted by

 

 

POR IAN WILKIE

Tradução e adaptação E.M.Pinto

 

Ian Wilkie é um advogado internacional, veterano do exército dos EUA e ex-contratado da comunidade de inteligência, que fez uma análise da mais recente polêmica do Governo Donald Trump. Numa declaração explosiva o Secretário (ex) de Defesa James Mattis afirmou o que vinha sendo apontado pela diplomacia russa e pelo governo Sírio como uma farsa sem comprovações de que o Governo Sírio usou armas químicas contra seu povo. Fica a Pergunta, se elas foram usadas, quem as lançou?

A Reportagem é do Newsweek

Perdido no hiper-politizado entorno do Memorando de Nunes e o Dossiê de Steele, a declaração impressionante do Secretário de Defesa James Mattis de que os EUA não têm “nenhuma evidência” de que o governo sírio usou o agente Sarbin contra o próprio povo aquece as discussões sobre o real motivo da guerra na síria, a derrubada do “Tirano” Assad pelos pupilos armados e apoiados pelo ocidente.


 

“Todas as guerras chegam ao fim”, diz Mattis, relatando o interesse dos talibãs nas conversas de paz afegãs

Esta afirmação aparece em frente ao Memorando da Casa Branca (NSC), que foi rapidamente produzido e divulgado para justificar um ataque de mísseis Tomahawk contra a base aérea de Shayrat na Síria.

Mattis não ofereceu qualificações temporais, o que significa que tanto o evento de 2017 em Khan Sheikhoun quanto a tragédia de 2013 em Ghouta são casos não resolvidos aos olhos do Departamento de Defesa e Agência de Inteligência de Defesa Americana.Ele continuou a reconhecer que “grupos de ajuda humanitária e outros” forneceram provas e relatórios, mas não fizeram acusações ao presidente Bashar Al Assad como sendo o culpado.

Houve vítimas de intoxicação por organofosforados em ambos os casos; Isso é certo. Mas a América acusou Assad da responsabilidade direta pelos ataques de Sarin e até culpou a Rússia pela culpa na tragédia de Khan Sheikhoun.

Agora, seu próprio chefe militar disse  que não tem evidências para sustentar esta conclusão. Ao fazê-lo, Mattis tácitamente impugnou os intervencionistas que foram responsáveis por empurrar a narrativa “Assad é culpado” duas vezes sem provas de apoio suficientes, pelo menos aos olhos do Pentágono.

Esta dissonância entre a Casa Branca e o Departamento de Defesa é especialmente preocupante quando vista contra os protestos sobre as armas de destruição maciça que questionaram as narrativas da Casa Branca (Obama e Trump) sobre armas químicas na Síria desde praticamente o momento que esses “eventos ordenados por Assad” ocorreram.

Especialistas em armas químicas e pesquisadores experientes, como Hans Blix, Scott Ritter, Gareth Porter e Theodore Postol, lançaram dúvidas sobre as narrativas americanas “oficiais” de que o presidente Assad havia empregado o Sarin.

Esses analistas se concentraram nos aspectos técnicos dos dois ataques e descobriram que eles não eram consistentes com o uso de munições Sarin de qualidade do estado nacional.

O evento Ghouta de 2013, por exemplo, empregou foguetes caseiros do tipo produzido pelos insurgentes. O Memorando da Casa Branca sobre Khan Sheikhoun parecia confiar fortemente em testemunhos dos Capacetes brancos sírios que foram filmados na cena com contato com supostas vítimas contaminadas com Sarin e não sofrendo quaisquer efeitos negativos.

Da mesma forma, esses mesmos atores foram filmados usando roupas de treinamento de armas químicas em torno do suposto “ponto de impacto” em Khan Sheikhoun, algo que faz seu testemunho (e amostras) altamente suspeito. Uma roupa de treino não oferece nenhuma proteção, e essas pessoas estariam mortas se tivessem entrado em contato com o Sarin de grau militar real. (nota a Rusia classifica os capacetes brancos como atores a servicod a Alqaeda e já denunciou a execução de soldados sírios por membros dos capacetes brancos em vários eventos. Os capacetes brancos comoveram ate Hollywood que os condecorou com prêmios no OSCAR).

As armas químicas são abomináveis e ilegais, e ninguém sabe disso mais do que Carla Del Ponte. Ela, no entanto, não pôde cumprir o mandato do Mecanismo de Investigação Conjunta da ONU na Síria e retirou-se em protesto contra os Estados Unidos, recusando-se a investigar completamente as alegações de uso de armas químicas por “rebeldes” (jihadis) aliados dos Estados Unidos para expulsar o presidente Assad ( incluindo o uso de Sarin por rebeldes anti-Assad).

O fato de os pesquisadores das Nações Unidas. estarem na Síria quando o evento de armas químicas em Khan Sheikhoun ocorreu em abril de 2017 torna altamente duvidoso que Assad teria dado a ordem de usar Sarin naquele momento. O senso comum sugere que Assad teria escolhido qualquer outro momento para usar uma arma proibida que ele concordou em destruir e nunca empregar.

Além disso, ele colocaria em risco o seu patrocínio da Rússia, tonando-o um criminoso de guerra o que forcaria a Russia a retirar seu apoio.

Tacticamente, como ex-soldado, não faz sentido para mim que alguém intencionalmente atinja civis e crianças, como os relatórios dos capacetes brancos sugerem que ele fez.

Há uma análise convincente de Gareth Porter, sugerindo que a fosfina poderia ter sido liberada por uma munição aérea que atingiu um depósito químico, uma vez que as nuvens e as baixas (enquanto aparecem organofosforados em alguns aspectos) não parecem ser semelhantes ao MilSpec Sarin.

A credibilidade dos Estados Unidos foi prejudicada por Colin Powell nas Nações Unidas em 2003 acusando falsamente Saddam Hussein de ter laboratórios móveis de antraz. Avanço rápido para 2017 e encontramos Nikki Haley em uma situação desconfortavelmente similar no Conselho de Segurança da ONU pedindo ação contra outro Estado não-ocidental com base em evidências fracas e infundadas.

Agora o secretário Mattis adicionou combustível à propaganda com um incêndio que gera mais duvida ao pôr em questão retroactivamente o raciocínio de um ataque de mísseis de cruzeiro americano.

Embora de modo algum prejudique o horror do que aconteceu contra civis inocentes na Síria, é hora da América parar de disparar primeiro e fazer perguntas mais tarde.

 

Fonte: NewsWeek

 

12 Comments

  1. Pingback: Mattis admite que não há nenhuma evidência de que a o governo sírio tenha utilizado gás de veneno em seu povo | DFNS.net em Português

  2. A Máquina Troll says:

    as forças armadas Sírias não tem porque usarem armas químicas para se incriminar a comunidade internacional…pois estão pondo pra correr todos estes mercenários teleguiados dos eua…tudo isso evidencia o desespero desta gente com o fracasso de suas incursões naquele lugar…pois o pais esta sendo retomado pelos Sírios com a ajuda dos Russos…e os grupos mercenários daquela gente estão sendo varridos da Síria…

    • A Máquina Troll says:

      Bandeiras Falsas Não Enganam Mais :

      https://www.youtube.com/watch?v=ZMOleVFPe7I

    • Essas armas químicas cheiraram como aquelas que justificaram a invasão do Iraque, como diziam os Romanos “jus ad bellum”. A Síria só não virou uma Líbia porque a Rússia entrou de sola.
      O serviço porco que os EUA fez no Iraque,Afeganistão, Líbia e Síria serve para alimentar o magnifico parque industrial bélico dos EUA que graças as suas doações para campanha e lobby (que alguns afirmam não ser corrupção, talvez pelo fato de ser em inglês e por isso é chique) conduzem a politica interna e externa garantindo um ciclo “virtuoso” de lucros (exatamente como Dwight D. Eisenhower já havia alertado).
      * quem paga o pato é a Europa, que recebe uma massa de refugiados mutilados psicologicamente e/ou fisicamente que ajudam a alimentar a extrema direita europeia.

      Sds

    • A Máquina Troll says:

      “Uma bomba na mão e uma idéia na cabeça.”

      André Dahmer

    • Mercenários né?! Já ouviu falar do Wagner Grupp? Quem e seu fundador e lider e de que lider player global ele e muito proximo?
      Da uma pesquisada.

  3. Infelizmente o ocidente permanece buscando todo tipo de alternativa para derrubar o regime de Assad,e esse é apenas um de muitos que eles utilizam para tentar derrubar o presidente por meios “legais e justificáveis”.

    • jose luiz esposito says:

      Principalmente usando a imprensa Venal e Sionista , como aqui no Brasil a Rede Globo, que quando fala de Assad e outros , sempre se refere como Ditadores , Déspotas , Malucos , Agressores do Mundo ,etc !

      • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

        “Onde reina a força, o direito não tem lugar.”… quais os direitos do povo sírio ???… ou dos venezuelanos ???… ou dos cubanos ???… capiche ???… 🙂

  4. Julio Brasileiro says:

    A evidencia que grita a cada imagem é de que houve um conluio criminoso entre terrorristas, alimentados pelos sauditas e o ocidente yanke, seu parceiro, de mercenarios cuja bandeira é o dinheiro, para destruir a soberania e a capacidade Siria de resistir ao assedio cultural criminoso dos States.

  5. Gente gás sarin é uma arma que pode ser fabricada numa garagem com uns 200 reais em produtos por um amador …tá na cara que o ataque foi forjado pelos terroristas! E mais não duvido que com a mão da CIA e da Arabia Saudita que querem enfraquecer a influência da Russia no Oriente Médio eliminando o Assad e colocando um regime wahabbita extremista no poder.

shared on wplocker.com