Categories
Aviação Brasil

Força Aérea Brasileira - Dimensão 22


 
Dimensão 22 corresponde a uma área de 22 milhões de km2, um cenário tridimensional fabuloso que a Força Aérea Brasileiraprotege por meio das ações de ControlarDefender e Integrar.


 


Controlar diz respeito à responsabilidade da Força Aérea Brasileira pelo controle de voos no espaço aéreo brasileiro. Em cumprimento a acordos internacionais, o Brasil é, também, responsável por controlar voos além do continente, sobre o Oceano Atlântico, totalizando 22 milhões de km2. Ainda, em toda essa área, a FAB cumpre missões de busca e salvamento para localizar e salvar pessoas em perigo na terra ou no mar.


Defender refere-se à garantia da soberania do espaço aéreo, que inclui todo o território brasileiro e suas fronteiras, além da zona econômica exclusiva, totalizando 12 milhões de km2. Com unidades operacionais em regiões estratégicas, a FAB defende essa área utilizando sua estrutura de defesa aérea por tipos de aviações: Caça, Transporte, Patrulha Marítima, Reconhecimento, Asas Rotativas e Alerta Aéreo Antecipado. Além da aviação, utiliza ações terrestres de CONTRATERRORISMO, de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e de Defesa Antiaérea.


Integrar o território nacional também é missão da FAB. Grande parte das aeronaves da FAB proporciona a integração do Brasil em diferentes missões. Ajuda humanitária, ações cívico-sociais, transporte de pessoas e suprimentos, transporte de órgãos e de urnas eleitorais, evacuações aeromédicas, e construção de pistas são algumas das ações que levam direitos fundamentais à população carente em regiões de difícil acesso do País.

 


 

Conheça alguns dos projetos da Dimensão 22.

 
 


O caça sueco de múltiplo emprego Gripen NG é um modelo supersônico monomotor projetado para missões ar-ar, ar-mar e ar-solo sob quaisquer condições meteorológicas. A FAB receberá 36 unidades da nova aeronave até 2024 para atuar na Defesa Aérea da Dimensão 22.

A versão brasileira, desenvolvida em parceria com empresas locais, contará com modernos sistemas embarcados, radar de última geração e capacidade para empregar armamentos de fabricação nacional.

Em termos estratégicos, representa a possibilidade de entrada do Brasil como parceiro em um programa de alta tecnologia. Haverá reflexos duradouros para a indústria de defesa nacional, com foco na transferência de tecnologia para o País.

 
  
 
 


A produção do KC-390 tem por objetivo o desenvolvimento de aeronaves de transporte militar e reabastecimento em voo para substituição dos Hércules C-130.

O KC-390 será capaz de operar em pistas não pavimentadas em qualquer local do planeta, como a Antártida, a Amazônia e o Pantanal. Seus sistemas de autodefesa o tornarão menos suscetível a ameaças em ambiente hostil. Deve constituir-se em uma das mais importantes ferramentas da FAB para cumprir sua missão constitucional na Dimensão 22 de prover mobilidade estratégica às Forças de Defesa do Brasil.

O desenvolvimento dessa nova aeronave posicionará o Brasil como protagonista entre os fabricantes de equipamentos de defesa no mundo, além de possibilitar exportações de um produto de alto valor agregado.

 


Segundo a Estratégia Nacional de Defesa, a FAB é também responsável pelo desenvolvimento de projetos no Setor Aeroespacial, assim como a operação e o monitoramento de satélites. Em vista disso, o Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE) estabelece a estratégia de implantação de sistemas espaciais de defesa com uso integrado – militar e civil.

O PESE permite que as operações das Forças Armadas tenham o necessário suporte das aplicações espaciais de forma coordenada e integrada. Além disso, traz benefícios diretos e indiretos a todas as ações de governo em prol da sociedade brasileira.

O Brasil, no contexto da Dimensão 22, não pode prescindir do uso do espaço para benefício de sua sociedade e aprimoramento de seus sistemas de defesa. Incluir o País num cenário global onde poucos detêm a capacidade gerencial, operacional, tecnológica e industrial para fazer uso do espaço requer esforço coordenado entre diversos segmentos da sociedade, a fim de conquistar a independência do Setor Aeroespacial brasileiro.

 


 


T-25 Universal
Aeronave de instrução
Envergadura: 11 m
Comprimento: 8,60 m
Peso máximo de decolagem: 1.700 kg
Velocidade máxima: 240 kt (444 km/h)
Teto de Serviço: 12.995 ft (3.962 m)
T-27 Tucano
Aeronave de instrução
Envergadura: 11,14 m
Comprimento: 9,86 m
Peso máximo de decolagem: 3.175 kg
Velocidade máxima: 280 kt (519 km/h)
Teto de Serviço: 30.000 ft (9.144 m)
A-29 Super Tucano
Aeronave de caça e treinamento
Envergadura: 11,14 m
Comprimento: 11,34 m
Peso máximo de decolagem: 5.400 kg
Velocidade máxima: 320 kt (593 km/h)
Teto de Serviço: 34.999 ft (10.668 m)
A-1 M
Aeronave de caça
Envergadura: 9,78 m
Comprimento: 13,50 m
Peso máximo de decolagem: 13.000 kg
Velocidade máxima: 550 kt (1.020 km/h)
Teto de Serviço: 42.700 ft (13.015 m)
F-5M
Aeronave de caça
Envergadura: 8,53 m
Comprimento: 14,45 m
Peso máximo de decolagem: 11.192 kg
Velocidade máxima: 1.139 kt (2.112 km/h)
Teto de Serviço: 51.804 ft (15.790 m)
C-95M Bandeirante
Aeronave de transporte
Envergadura: 15,32 m
Comprimento: 15,10 m
Peso máximo de decolagem: 5.900 kg
Velocidade máxima: 230 kt (426 km/h)
Teto de Serviço: 25.000 ft (7.260 m)
C-98 Caravan
Aeronave de transporte e ligação
Envergadura: 15,87 m
Comprimento: 12,67 m
Peso máximo de decolagem: 3.929 kg
Velocidade máxima: 175 kt (324 km/h)
Teto de Serviço: 25.000 ft (7.620 m) 
C-105 Amazonas
Aeronave de transporte
Envergadura: 25,81m
Comprimento: 24,50m
Peso máximo de decolagem: 23.200 kg
Velocidade máxima: 246kt (457km/h)
Teto de Serviço: 25.000ft (7.020m)
SC-105 Amazonas
Aeronave de busca e salvamento
Envergadura: 25,81m
Comprimento: 24,50m
Peso máximo de decolagem: 23.200 kg
Velocidade máxima: 246kt (457km/h)
Teto de Serviço: 25.000ft (7.020m)
C-130 Hércules
Aeronave de transporte e reabastecimento em voo
Envergadura: 40,40m
Comprimento: 29,80m
Peso máximo de decolagem: 69.750 kg
Velocidade máxima: 320 kt (593 km/h)
Teto de Serviço: 32.000ft (9.754 m)
KC-390
Aeronave de transporte e reabastecimento em voo
Envergadura: 35,05 m
Comprimento: 35,2 m
Peso máximo de decolagem: 81.000 kg
Velocidade máxima: Mach 0,8 (955 km/h)
Teto de Serviço: 10.973 m
C-97 Brasília
Aeronave de transporte
Envergadura: 19,78m
Comprimento: 20,07m
Peso máximo de decolagem: 11.990 kg
Velocidade máxima: 328 kt (608 km/h)
Teto de Serviço: 32.000 ft (9.754 m) 
C-99
Aeronave de transporte
Envergadura: 20,04 m
Comprimento: 28,45 m
Peso máximo de decolagem: 20.100 kg
Velocidade máxima: 0,78 Mach
Teto de Serviço: 37.000 ft (11.278 m) 
C-767
Aeronave de transporte
Envergadura: 47,6 m
Comprimento: 54,9 m
Peso máximo de decolagem: 52.000 kg
Velocidade máxima: 913 km/h
Teto de Serviço: 39.400 ft (12.000 m)
VC-1
Aeronave de transporte presidencial
Envergadura: 34,10 m
Comprimento: 33,84 m
Peso máximo de decolagem: 75.500 kg
Velocidade máxima: 531 kt (985 km/h)
Teto de Serviço: 41.000 ft (12.496 m)
VC-2
Aeronave de transporte presidencial
Envergadura: 28,72 m
Comprimento: 36,25 m
Peso máximo de decolagem: 51.800 kg
Velocidade máxima: 531 kt (985 km/h)
Teto de Serviço: 41.000 ft (12.496 m)
VC-99 A/B/C
Aeronave de transporte
Envergadura: 20,04 m
Comprimento: 29,87 m
Peso máximo de decolagem: 20.600 kg
Velocidade máxima: 828 km/h
Teto de Serviço: 11.212 m
Hermes RQ-450
Aeronave de reconhecimento
Envergadura: 10,50 m
Comprimento: 6,10 m
Peso máximo de decolagem: 520 kg
Velocidade máxima: 95 kt (176 km/h)
Teto de Serviço: 17.998 ft (5.486 m)
Hermes RQ-900
Aeronave de reconhecimento
Envergadura: 15 m
Comprimento: 8,30 m
Peso máximo de decolagem: 1.180 kg
Velocidade máxima: 119 kt (220 km/h)
Teto de Serviço: 30.000 ft (9.144 m)
R-35 AM
Aeronave de reconhecimento
Envergadura: 12,04 m
Comprimento: 14,80 m
Peso máximo de decolagem: 8.890 kg
Velocidade máxima: 470 kt (872 km/h)
Teto de Serviço: 45.000 ft (13.715 m)
R-99
Aeronave de reconhecimento
Envergadura: 20,04 m
Comprimento: 29,87 m
Peso máximo de decolagem: 23.400 kg
Velocidade máxima: 525 kt (955 km/h)
Teto de Serviço: 37.000 ft (11.278 m)
E-99
Aeronave de controle e alarme em voo
Envergadura: 21 m
Comprimento: 29,87 m
Peso máximo de decolagem: 24.000 kg
Velocidade máxima: 525 kt (955 km/h)
Teto de Serviço: 30.000 ft (9.144 m) 
P-95 M Bandeirulha
Aeronave de patrulha marítima
Envergadura: 15,95 m
Comprimento: 14,91 m
Peso máximo de decolagem: 7.000 kg
Velocidade máxima: 230 kt (426 km/h)
Teto de Serviço: 27.000 ft (8.230 m)
P-3 M Orion
Aeronave de patrulha marítima e antissubmarino
Envergadura: 30,38 m
Comprimento: 35,61 m
Peso máximo de decolagem: 57.834 kg
Velocidade máxima: 328 kt (608 km/h)
Teto de Serviço: 30.000 ft (9.144 m)
IU-50
Aeronave de laboratório e inspeção em voo
Envergadura: 20,25 m
Comprimento: 20,74 m
Peso máximo de decolagem: 17.400 kg
Velocidade máxima: 800 km/h
Teto de Serviço: 45.000 ft (13.716 m)
IU-93A
Aeronave de laboratório e inspeção em voo
Envergadura: 15,66 m
Comprimento: 15,59 m
Peso máximo de decolagem: 12.701 kg
Velocidade máxima: 450 kt (834 km/h)
Teto de Serviço: 41.000 ft (12.497 m)
 


AH-2 Sabre
Helicóptero de interceptação e ataque
Diametro: 17,20 m
Comprimento: 19,50 m
Peso máximo de decolagem: 12.000 kg
Velocidade máxima: 181 kt (335 km/h)
Teto de Serviço: 16.000 ft (4.900 m)
H-1H
Helicóptero de transporte, busca e salvamento
Diametro: 14,63 m
Comprimento: 17,77 m
Peso máximo de decolagem: 4.309 kg
Velocidade máxima: 121 kt (224 km/h)
Teto de Serviço: 12.598 ft (3.840 m)
H-36 Caracal
Helicóptero de busca e salvamento
Diametro: 16,20 m
Comprimento: 19,50 m
Peso máximo de decolagem: 11.000 kg
Velocidade máxima: 175 kt (324 km/h)
Teto de Serviço: 19.882 ft (6.060 m)
H-50 Esquilo
Helicóptero de instrução
Diametro: 12,94 m
Comprimento: 10,93 m
Peso máximo de decolagem: 2.250 kg
Velocidade máxima: 132 kt (245 km/h)
Teto de Serviço: 15.000 ft (4.600 m)
H-60 Black Hawk
Helicóptero de busca e salvamento
Diametro: 16,36 m
Comprimento: 19,76 m
Peso máximo de decolagem: 10.660 kg
Velocidade máxima: 192 kt (357 km/h)
Teto de Serviço: 18.000 ft (5.486 m)
VH-34 Super Puma
Helicóptero de transporte presidencial
Diametro: 15,60 m
Comprimento: 16,29 m
Peso máximo de decolagem: 9.150 kg
Velocidade máxima: 262 km/h
Teto de Serviço: 5.180 m
VH-35
Helicóptero de transporte presidencial
Diametro: 10,20 m
Comprimento: 12,16 m
Peso máximo de decolagem: 2.910 kg
Velocidade máxima: 155 kt (287 km/h)
Teto de Serviço: 20.000 ft (6.096 m)
 


Fonte: CECOMSAER – Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

Categories
Uncategorized

Rússia desenvolve novo veiculo de combate com base na plataforma Bumerang

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

por Dylan Malyasov

O Diretor-Geral da empresa industrial militar (VPK), Aleksandr Krasovitsky, disse em uma entrevista ao canal de televisão russo ‘Zvezda.’ Que os engenheiros russos em breve estarão trabalhando em um destruidor de carros de combate e trata-se de um veículo sobre rodas com base na plataforma do veículo blindado “Bumerang”.

“Será um know-how. Com base na mesma plataforma “Bumerang” mas com uma arma pesada “, disse ele durante a entrevista. O novo veículo será projetado para operar em unidades motorizadas ou forças de reação rápida das Forças Armadas da Federação Russa.

Aleksandr Krasovitsky também observou que as bases da plataforma Bumerang já estão disponíveis na forma do transportador de pessoal blindado K-16 e veículo de combate de infantaria K-17, com a possibilidade de criar uma família inteira de veículos com base no chassis de Bumerang. No meio militar, o Bumerang é referido como “um veículo de combate sobre rodas”, pois servirá para vários papéis diferentes, semelhantes aos Strykers dos Estados Unidos.

Fonte: Defence Blog

Categories
Uncategorized

Proposta de sistemas da BAE para construir o veículo Mobile Protected Firepower para US Army

BAE Systems Mobile Protected Firepower (MPF) vehicle (Picture source BAE Systems)

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

A BAE Systems apresentou sua proposta ao Exército dos Estados Unidos a qual abrange a construção e teste do veículo Mobile Protected Firepower (MPF). O veículo se destina ao uso em nível de Equipe de Combate de Brigade de Infantaria (IBCT).

O MPF é um novo veículo de combate exigido pelo Exército para fornecer às IBCT uma plataforma protegida capaz de fornecer poder de fogo de precisão, combinado com a capacidade de se mover rapidamente em uma variedade de condições do terreno. “Nosso veículo MPF é o resultado de mais de 30 anos de pesquisa e desenvolvimento para construir um veículo de combate leve, de implantação rápida, projetado especificamente para apoiar a infantaria leve… Nossa oferta integra as tecnologias mais modernas em um projeto baseado no desenvolvimento, testes e lições aprendidas em nosso portfólio de programas de veículos de combate”. disse Jim Miller, diretor de Desenvolvimento de Negócios de veículos de combate da BAE Systems.

Os sistemas da BAE melhoram as capacidades dos veículos blindados M8 classificado por tipo, assim como outros programas anteriores em um sistema MPF totalmente integrado. Ao adicionar tecnologia moderna, a BAE Systems desenvolveu uma solução de baixo risco que possui um design maduro e as mais recentes inovações. Fornece um sistema de veículo altamente viável, letal, móvel e transportável para o IBCT.

A proposta da BAE apresenta soluções em todos os níveis, inclusive com o aumento da proteção do motor do veículo, um dado crítico para o perfil de operações do IBCT. “Nossa solução é construída em torno das necessidades do IBCT e das ameaças em evolução que enfrentam… É tão desdobrável como o outro equipamento do IBCT e é facilmente sustentado e mantido com recursos já orgânicos para o IBCT.

Nossa infantaria luta em terrenos próximos, áreas urbanas e locais remotos, de modo que um veículo menor e mais leve, ainda oferece proteção e letalidade superiores é essencial para o projeto de nossa oferta de MPF ” disse Miller. A BAE Systems desenvolveu e construiu um veículo que atualmente está passando por testes internos. A empresa enviará o veículo ao Exército em 2 de abril para se submeter a testes adicionais do governo dos EUA como parte do processo de avaliação de licitação.

Fonte: armyrecognition.com