Defesa & Geopolítica

Rex Tillerson levanta possibilidade de militares venezuelanos derrubarem Maduro

Posted by

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, levantou nesta quinta-feira a possibilidade de que os militares da Venezuela podem decidir derrubar o presidente Nicolás Maduro, mas disse não saber se isto irá acontecer.

Maduro faz discurso em Caracas 23/1/2018 REUTERS/Marco Bello – Foto: Reuters
.

Em um discurso na Universidade do Texas antes de uma viagem por cinco países da América Latina, Tillerson insistiu que o governo Trump não está defendendo “mudança de regime” na Venezuela, mas disse que seria “mais fácil” se Maduro escolhesse por conta própria deixar o poder.

Ele previu que haverá “mudança” na Venezuela e disse que os Estados Unidos querem que seja pacífica.

“Na história da Venezuela e de países da América do Sul são frequentes vezes em que os militares são o agente da mudança quando coisas estão muito ruins e a liderança não pode mais servir ao povo”, disse Tillerson. Mas ele acrescentou que “se este será o caso aqui ou não, eu não sei”.

“Maduro deve voltar à sua Constituição e segui-la”, afirmou Tillerson, acrescentando que caso a situação fique muito ruim para ele, “tenho certeza que ele tem alguns amigos em Cuba que podem lhe dar uma bela mansão na praia”.

Reportagem de Matt Spetalnick, David Brunnstrom e Jon Herskovitz

Fonte: Reuters

Tillerson fala sobre possibilidade de golpe militar na Venezuela

Antes de viajar à América Latina, secretário de Estado americano diz que intervenção militar fez parte da história de países da região, mas garante que EUA preferem uma “transição pacífica” no país de Nicolás Maduro.

Tillerson vai visitar México, Argentina, Peru e Colômbia – países que adotam postura rígida diante de Caracas

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, afirmou nesta quinta-feira (01/02), momentos antes de iniciar sua primeira viagem oficial pela América Latina, que um golpe militar poderia ser uma das possíveis soluções para o fim do regime de Nicolás Maduro na Venezuela.

Tillerson, que é chefe da diplomacia dos Estados Unidos, destacou, no entanto, que Washington prefere uma “transição pacífica” no país latino-americano. A declaração vem meses depois de o presidente Donald Trump ter sugerido a possibilidade de uma intervenção militar na região.

“Na história da Venezuela e de outros países da América Latina e da América do Sul, muitas vezes foram os militares que lidaram com situações como essa”, disse o secretário americano em discurso na Universidade do Texas, em Austin.

“Quando as coisas estão tão ruins, e a liderança militar percebe que isso não está mais servindo para os cidadãos, eles vão gerenciar uma transição pacífica”, completou ele, destacando não saber se acontecerá dessa forma na Venezuela.

Questionado se poderia ser necessária uma retirada de Maduro do poder e se Washignton teria um papel nisso, Tillerson afirmou que os EUA não defendem “uma mudança no regime ou a remoção do presidente”, mas apenas que o país “retorne à Constituição”. Ele admitiu, no entanto, que seria “mais fácil” se o chavista decidisse deixar o poder por conta própria.

O secretário disse ainda ter certeza que, caso as coisas fiquem muito difíceis para Maduro, “o presidente possui alguns amigos em Cuba que poderiam muito bem oferecer a ele um local agradável na praia, e ele poderia ter uma vida tranquila por lá”.

Maduro, que enfrenta altos índices de reprovação em meio a uma crise econômica aguda, inflação desenfreada e escassez de alimentos e remédios no país produtor de petróleo, está buscando a reeleição em um pleito presidencial que deve ser realizado até o final de abril.

Os Estados Unidos e outros países ocidentais acusam o regime de Maduro de violar direitos humanos e políticos na Venezuela e chegaram a impor sanções econômicas ao país.

Avanço de China e Rússia

Em seu discurso nesta quinta-feira, Tillerson ainda classificou de “alarmante” a crescente presença da China e da Rússia na América Latina, afirmando que a região “não precisa de novos poderes imperiais que só buscam o benefício próprio”.

O secretário de Estado pediu que os países latino-americanos fortaleçam seus governos e instituições a fim de “garantir sua soberania frente aos potenciais atores predadores que estão aparecendo”.

“Nossa região deve estar em guarda contra os poderes distantes que não refletem os valores fundamentais da região. Os EUA são um claro contraste a isto. Não buscamos acordos a curto prazo com lucros assimétricos. Nós buscamos sócios”, declarou ele.

Visita à América Latina

A viagem de Tillerson pela América Latina teve início nesta quinta-feira na Cidade do México, onde se encontrará com o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, e discutir temas como imigração e o acordo de livre comércio entre EUA, México e Canadá, o Nafta.

Em seguida, o chefe da diplomacia viaja ao Peru para uma reunião com o presidente Pedro Pablo Kuczynski; Argentina, onde se encontrará com o presidente Mauricio Macri; e Colômbia, sendo recebido por Juan Manuel Santos. A turnê latino-americana termina na Jamaica, no dia 7.

Fonte: DW

 

12 Comments

  1. Pingback: Rex Tillerson levanta possibilidade de militares venezuelanos derrubarem Maduro | DFNS.net em Português

  2. GripenBR says:

    A mão “invisível” do Tio Sam, a quase 80 anos cuidando do nossos governos. Se sair fora da linha é só trocar democraticamente. Só que não!

    • A Máquina Troll says:

      Na Grécia a democracia funcionava muito bem porque os que não estavam de acordo se envenenavam…rs…

    • A Máquina Troll says:

      Prestem bastante atenção senhores pois é o mesmo que estaria acontecendo hoje em nossa nação se não tivessem conseguido destituir a Dilma…tentam a todo custo desestabilizar e insuflar uma guerra civil na Venezuela…mas a maior parte da sociedade de lá ainda apoia o Chavismo…se não este governo já teria caído a muito tempo…é assim que a inteligência dos eua atuam “nas sombras” para sabotar e derrubar governos que vão de contra os seus “interesses”…através de grupos de fachada criam Ongs e Movimentos subversivos para incitar e causar desestabilização…e assim criar um ambiente favorável a derrubado do governo alvo…

      em 2002 Washington é reivindicado ter aprovado e apoiado um golpe contra o governo venezuelano….altos oficiais incluindo o enviado especial para a América Latina e figura condenada pelo Irã-contras Otto Reich e o “czar da democracia” de George W. Bush o Elliott Abrams foram parte da trama….os golpistas incluindo Pedro Carmona o homem instalado durante o golpe como o novo presidente visitaram a Casa Branca meses antes do golpe e continuaram até semanas antes do golpe….os conspiradores foram recebidos na Casa Branca pelo encarregado do Presidente George W. Bush sendo responsável político para a América Latina o enviado especial Otto Reich….Reich foi o mentor do golpe de Estado…

      o eua também financiaram grupos de oposição no ano que antecedeu ao golpe…centenas de milhares de dólares foram canalizados em doações dos eua a grupos de oposição da Venezuela incluindo grupos trabalhistas cujos protestos desencadearam o golpe…os fundos foram fornecidos pela National Endowment for Democracy (NED) uma organização sem fins lucrativos cujas raízes de acordo com um artigo publicado na Slate traçam de volta para a final dos anos 1960 quando o público soube que a CIA secretamente fazia maquinações para financiar partidos e ativistas para se opor aos soviéticos…o congresso estadunidense criou o NED em 1983 que desembolsa dinheiro para grupos “pró-democracia” em todo o mundo e fazem isso abertamente …

      a empresa estatal de petróleo, a PDVSA, desempenhou um papel fundamental em dezembro de 2002 durante “a greve nacional” que terminou em fevereiro de 2003 e que buscava a renúncia do presidente Chávez…gestores e técnicos qualificados bem pagos da PDVSA fecharam as plantas e deixaram os seus postos e de acordo com alguns relatos sabotaram equipamentos fazendo com que a produção e o refino de petróleo PDVSA quase parasse…as atividades foram lentamente reiniciadas e os trabalhadores do petróleo substituídos…oficiais da administração Bush e fontes anônimas reconheceram a reunião com alguns dos planejadores do golpe nas várias semanas que antecederam 11 de abril mas negaram veementemente que incentivaram o golpe em si dizendo que insistiam em meios constitucionais…

      Golpe de Estado Midiático Abril de 2002 Venezuela :

      https://www.youtube.com/watch?v=PNqGJYJjwJ4

  3. muttley says:

    Se levarmos em conta que Hugo Chávez não saiu de nenhum grêmio estudantil, um DCE da vida e sim das forças armadas podemos supor qual é o viés politico dos militares que vão derrubar(supostamente) Maduro. Já se vão quase vinte anos desse pessoal governando e estruturando as FA do Pais, o pessoal anti Chávez já foi para a reserva há muito tempo. Se ocorrer um golpe, o que duvido porque justificaria uma intervenção em prol da “democracia” na Venezuela, pode ter certeza que esse parlamento oposicionista (que foi eleito) some do mapa junto com Maduro.

    Sds

    • jose luiz esposito says:

      Rabugento ,esqueceste o $$$ tão a gosto dos Militares da Região ?!

      • muttley says:

        Concordo que dinheiro é o que não falta e provavelmente nunca faltou para financiar esse tipo de coisa lá na Venezuela e nas cercanias. Mas me parece que na Venezuela vai se envolver muito mais que dinheiro, mesmo porque a China também tem o papel moeda, e você a de convir comigo que aparentemente o pior momento de Maduro já passou.

        Sds

  4. jose luiz esposito says:

    Esta em tão na Cara que o Tiozinho tenta ou esta tentando comprar os Militares Venezuelanos , simples assim mesmo , e como eles são chegados a Benesses , podem contar um **GOLPE MILITAR DEMOCRÁTICO ** esta para acontecer , já devem ter colocado umas Vantagens Financeiras e alguma propriedade e Colônia de Férias na Florida , pronto os militares passaram a ** DEMOCRACIA ** e passarão a pronunciarem FLÓRIDA , Maravilha e seu Líder Venal será recebido pelo TRUMPalhão como Grande General Patriota e Democrático , mas apenas um Lacaio, Capacho e Fantoche Venal do TIO SATÃ !
    Anotem aí , só falta este General chamar-se Deodoro ou Floriano para coincidência !

  5. Fennek says:

    “Tillerson ainda classificou de “alarmante” a crescente presença da China e da Rússia na América Latina, afirmando que a região “não precisa de novos poderes imperiais que só buscam o benefício próprio”.

    Estou seriamente pensando em fazer um livro com o título “As Mil e Uma Hipocrisias do Governo Estadunidense. 1783-2018”.

    Não, sério, só nesta semana eu já contei umas vinte, e devo estar perdendo algumas ainda.

    No mais, se fosse para os militares venezuelanos se rebelarem já o teriam feito, eles só farão isso se houver algum tipo de apoio externo. Os soldados estão recebendo em dia e o alto comando está sendo muito bem pago para manter a “ordem” nos quartéis. Uma intervenção estrangeira está fora de questão, pois haveria o maior êxodo da história recente da américa do sul, e os mais afetados seriam Brasil e Colômbia, que se participassem das operações seriam OBRIGADOS a receber os venezuelanos (mais do que já estamos recebendo).

    A questão é que a Venezuela se tornou um problemão para nós, e a úniica solução que vejo é fechar as fronteiras com eles imediatamente e vigia-las MUITO BEM.

  6. PÉ DE CÃO says:

    os estados unidos esta mais dividido que a venezuela ou brasil , ali nos estados unidos a divisão e nazista eugenistas , kkk, supremacistas , do outro lado esta os pantares negras , latinos e indios mestiços e etc , e para complicar tem a walstreet dos sionistas , corporaçoes um numero gigante de pobres , os estados unidos e que tem que ter uma intervenção militar o militar americano não serve a sua patria e sim a corporação de banqueiros ,sao a maior carne de canhao que existe , fora que isso para fomentar uma indústria armamentista que leva lucro para poucos e miséria para milhoes nao apenas para o pais fascista deles como para o resto do planeta
    maior poluidor do mundo maior fomentador de conflitos pelo globo
    manda esse vira lata voltar para casa pois ele so quer trazer a guerra para a america latina e cada guerra que os estados unidos fomentam demora decadas

  7. JOJO says:

    Uma das razoes a CIA controla o trafico de heroina e cocaina no mundo e precisamente para ter fundos financeiros para comprar politicos e militares mundo afora. Compra militares, policiais, juizes e politicos no Brasil, tambem os compram na Venezuela. A diferenca e que Chaves depois daquela tentativa fracassada de golpe contra ele, armou a populacao civil e isto faz que a situacao na Venezuela e diferente da situacao no Brasil. La eu creio que a tentativa de golpe ou invasao estrangeira resultara em derramamento de sangue. O povo esta armado.

  8. …………..a Bolívia pode estar sob o risco de derrubada do Evo Morales….houve a greve dos médicos, do transporte pesado e a direita de Santa Cruz de la Sierra(a maior cidade do país) quer comer o fígado do presidente…dá pra notar que tem a mão da CIA na tentativa…….pra um país que já passou por mais de 150 golpes de Estado desde sua independência, a situação é crítica…………….

shared on wplocker.com