Menu
Categories
Obama evoca nazismo para alertar sobre fragilidade da democracia
Conflitos

Ex-presidente dos EUA diz que complacência dos eleitores pode levar a eventos como a Segunda Guerra Mundial. “É preciso estar atento e ir às urnas”, afirma. Conservadores acusam democrata de comparar Trump a Hitler.

O ex-presidente Barack Obama durante uma conferência em Chicago na terça-feira passada

O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama recordou a ascensão do nazismo na Alemanha no século passado para fazer um alerta à sociedade americana sobre a fragilidade da democracia.

“Ficamos complacentes e achamos que as coisas continuam sendo como sempre foram, de maneira simplesmente automática, mas elas não continuam”, afirmou Obama durante uma conferência em Chicago no início da semana, que veio à tona na imprensa somente neste sábado (09/12).

O ex-líder democrata ainda falou sobre a necessidade de se cultivar o “jardim da democracia” – caso contrário, “as coisas podem desmoronar muito rapidamente”, alertou ele, afirmando que o mundo viu “sociedades onde isso aconteceu”, em referência ao “final dos anos 1920 e os anos 1930”.

Obama lembrou a ascensão do ex-líder nazista Adolf Hitler num momento em que, segundo ele, tudo “parecia muito sofisticado e, embalado com a música, a arte, a literatura e a ciência que emergiam, acreditava-se que [essa fase próspera] ia durar para sempre”.

“E então 60 milhões de pessoas morreram. O mundo inteiro foi mergulhado no caos”, continuou o ex-presidente, possivelmente se referindo à Segunda Guerra Mundial, entre 1939 e 1945, quando morreu aproximadamente esse mesmo número de pessoas.

Ele concluiu o pensamento oferecendo um simples conselho aos cerca de 1.800 participantes da conferência – em sua maioria líderes empresariais na área de Chicago –, que se estendeu à sociedade americana: “Vocês precisam prestar atenção. E ir às urnas”.

Obama, que acumula uma série de divergências com o atual presidente americano, o republicano Donald Trump, não mencionou diretamente seu sucessor durante a fala na conferência, ou mesmo a situação política de nenhum país.

As declarações, no entanto, foram suficientes para arrancar críticas de personalidades conservadoras dos EUA, que chegaram a acusar o ex-líder de ter feito uma comparação entre Trump e Hitler.

“Achei que Obama fosse melhor do que isso. Comparar seu sucessor a Adolf Hitler é horrível. Simplesmente degradante”, opinou Jesse Watters, comentarista da emissora Fox News.

“Quando um ex-presidente faz uma comparação entre Hitler e Trump, a mídia convencional não diz nada. Comportamento desprezível”, afirmou, por sua vez, o apresentador Chuck Woolery, que já chegou a ser acusado de ter opiniões antissemitas.

Apesar das críticas dirigidas a Obama, agências de notícias afirmam que o ex-presidente não mencionou o nome do ex-líder nazista durante o discurso em Chicago.

Desde que deixou a Casa Branca, em janeiro, Obama tem seguido a tradição de reserva de seus antecessores e mantido a discrição sobre decisões políticas da nova administração, exceto para frisar seu desacordo em relação a temas como imigração e meio ambiente.

Fonte: DW

 

"5" Comments
  1. Pingback: Obama evoca nazismo para alertar sobre fragilidade da democracia | DFNS.net em Português

  2. ca59

    E o que é a democracia senão o respeito a vontade da maioria? Se o Trump foi eleito há que se respeitar a vontade das urnas. Se lá nos USA a eleição indireta não espelha a vontade da maioria do povo que mudem o sistema.
    Agora vem o sr. Obama, que se beneficiou do voto indireto, criticar a ascensão dos grupos de ultradireita? indiretamente ele está justificando as ditaduras que não respeitam a vontade da maioria..A classe dominante não aceita perder o poder e sempre apela para golpes armados.
    Acredito que essa onda de ultraconservadorismo, que aparece no mundo todo, é fruto do descontentamento da população contra esse liberalismo exagerado que vivemos hoje. O povo está com saudades do tempo em que havia respeito as leis, instituições e tradições culturais. Hoje nada é respeitado e algumas pessoas pensam que podem fazer o que quiserem, porque tem direitos, mas esquecem que também tem obrigações..

  3. depois de evocar o estado islâmico em nome democracia na síria , Iraque e líbia e financiar e organizar golpes anti democráticos no brasil,ucrânia,paraguaí…. fazer campanha para eleger a fanática liberal que queria a todo custo destruir o irã e cercar economicamente a china como se os EUA ainda tivessem nos anos 90 pega mal tanta hipocrisia obamashow !

  4. Rafa_positron

    Vai procurar o que fazer, Obama !!!!

    Depois da grande c***gada que vc deixou na Siria, deveria ter vergonha de aparecer em publico

  5. Adriano Corrêa

    Só mais um garoto propaganda!

    Quando ele fez um discurso para os cadetes formandos, ele tocou na classe média brasileira como um dos desafios a prepoderancia dos EUA.

    E o que aconteceu? Esse golpe escroto e os mais covardes ataques deste governo Temer contra a classe média e baixa brasileira, num esforço diário e continuado de empobrecer os brasileiros.

Comments are closed
*