Defesa & Geopolítica

Editorial: “Cloud Shadow” o UCAV de ataque naval chinês

Posted by

E.M.Pinto

Ele é o primeiro UCAV da família “Shadow” a ser exportado em série. Segundo o Global Times , a AVIC informou nesta semana que o drone possui um sistema de controle de voo de aviônica, sem similar no mercado. Movido a um motor a reação, o UCAV chinês opera à uma altitude  de cruzeiro superior à maioria dos sistemas de defesa superfície-ar e uma velocidade muito mais rápida que a primeira geração de UCAV destinados ao ataque.

O Cloud Shadow pode operar num ambiente de média intensidade com segurança servindo de plataforma de inteligência rápida de logo alcance, servindo de plotador para ataques precisos à superfície, sejam terrestres ou navais navais.

A Família Shadow possuí até o momento três tipos de UCAV , o “Cloud Shadow” e o “Cloud Shadow 1”, equipados com uma câmera CCD de alta resolução de alta altitude e um radar de abertura sintética (SAR) o vetor pode pode capturar mais de 10.000 km2 de imagens ópticas por hora a uma altitude de 13 km.  Já o “Cloud Shadow 2 é equipado com um detector de sinal de radar de banda larga e um detector de sinal de comunicação, capacitado a detectar e localizar todos os sistemas de radar terrestres à 400 km e todos os sinais de comunicação dentro de 200km.

Por último, o “Cloud Shadow 3”, é equipado com um radar SAR, bem como um dispositivo de reconhecimento opto-eletrônico avançado, pode trabalhar com vários tipos de armas de ataque avançadas ao mesmo tempo que pode executar reconhecimento de alta altitude e ataques a alvos além de 50km.

O que faz com que o novo UCAV chinês se destaque, é a sua carga útil de mísseis anti-navio. Além de sua série normal de mísseis guiados e bombas inteligentes, a aeronave pode transportar até dois mísseis anti-navio Strike Eagle YJ-9E (foto a seguir)  sendo que o YJ-9 é uma variante leve míssil padrão YJ-81/83 operado pela maioria dos vasos navais médios da PLAN.

O YJ-9 foi revelado pela primeira vez ao público em 2004 a bordo de um helicóptero anti-navio Z-9D. A arma é equipada com uma ogiva de 30 kg e possui um alcance de 18 km trafegando a uma velocidade de Mach 0.85.

O YJ-9 também pode ser transportado pelo treinador avançado L-15 e outros aviões chineses leves para missões anti-navio perto da costa. Entusiasmada com o projeto, a AVIC informou que lançará mais produtos derivados da família “Shadow” num futuro próximo.

 

11 Comments

  1. Cesar A. Ferreira says:

    Olha a China…

    • Juan Diego Ganz says:

      Está indo BEM MELHOR que a Rússia…

  2. Pingback: Editorial: “Cloud Shadow” o UCAV de ataque naval chinês | DFNS.net em Português

  3. Será que voam na altitude (16 mil metros) e podem lançar dois mísseis da categoria do Sea Skua com 50 km de alcance máximo se disparado do alto como o modelo Chinês diz fazer?

    • S-88 says:

      A pergunta é: há necessidade de tal capacidade nas FAs norte-americanas de um drone voando a essa altura para disparar um míssil? Caso eventualmente haja basta adaptar o MQ-4 Triton para a tarefa. Ademais as próprias capacidades de vigilância marítima do drone da Northrop aparentam ser superiores às do drone chinês.

  4. A Máquina Troll says:

    “S-88
    19 de novembro de 2017 at 22:34

    Predators e Reapers já levam mísseis Hellfire há muito tempo, podendo ser empregados para atacar pequenas embarcações. Portanto o escarcéu em torno do drone xing-ling não se justifica”

    é verdade…mas o que era a China uns 20 anos atrás?!… 😉

  5. Alvez8O says:

    E esta é a versão de exportação,
    provavelmente os drones que servirão ao PLA terão maiores capacidades…

  6. Alvez8O says:

    Ontem saiu outra noticia sobre o desenvolvimento chinês,
    na área de CATAPULTAS ELETROMAGNÉTICAS:

    “China tira mais um ‘trunfo’ aos EUA criando catapultas eletromagnéticas para porta-aviões”

    https://br.sputniknews.com/defesa/201711199871485-china-eua-catapulta-eletromagnetica-porta-avioes/

    • Alvez8O says:

      Com “ceder” (aspas, aspas!) aos indianos, vc quer dizer: Venderam um pacote fechado, cheio de cláusulas impedindo o aceso a tecnologia em si…

      Já os chineses, desenvolveram e detém o domínio pleno da tecnologia das catapultas eletromagnéticas, um mundo de diferenças!

  7. PÉ DE CÃO says:

    americanofilo fica morrendo de inveja como se ele fizesse parte da força armada americana rsrs
    coitado não serviu nem para a nossa rsrsrs sera que e dai que nasceu essa frustração toda , e dessa forma ele elegeu uma força que em seu subconsciente ele faria parte pois ele e muito bom isso para seus botões rsrs

    só freud explica isso mas é algum tipo de patologia sem sombras de duvida rs

    sobre a china tenho apenas a dizer que se eles que eram tao discriminados estao conseguindo ,nos brasileiros faremos igual e melhor também ,basta um governo comprometido com o país

  8. Capa Preta says:

    A China esta dando um salto monstruoso em tecnologia militar. Já passaram da fase de heckear e copiar projetos e da engenharia reversa, estão desenvolvendo inovações. De fato um player global.

    Já o grandão bobão da America do sul ?! Continua formando uns 500 sociólogos, filósofos, arquitetos decoradores de interiores administradores ratos de escritório para 1 engenheiro.

shared on wplocker.com