Defesa & Geopolítica

Marinha de Cingapura dá “salto quântico” com a adição de 2 navios em serviço.

Posted by

By: Mike Yeo

MELBOURNE, Austrália – Cingapura comssionou o segundo e terceiro navios de missão do litorânea construídos localmente para sua Marinha, enquanto que o navio líder da classe se desdobra para o exterior pela primeira vez.

Os dois navios, RSS Sovereignty e RSS Unity, foram introduzidos na Marinha da República da Cingapura em uma cerimônia terça-feira na RSS Singapura, uma das duas principais bases do serviço.

Falando na cerimônia de comissionamento, o ministro da Defesa, Ng Eng Hen, chamou os navios de “salto quântico” em comparação com os antecessores da classe Fearless, destacando suas características como a ponte integrada e o mastro, bem como o sua tripulação de 30 pessoas.

Ng também acrescentou que o navio líder da classe RSS Independence, que havia sido comissionado em maio, recentemente partiu para sua primeira viagem ao exterior como parte de um grupo tarefa da Marinha, participando de um exercício marítimo regional no Golfo da Tailândia antes de participar de uma revisão da frota internacional em Pattaya, na Tailândia.

Cingapura irá eventualmente operar oito dos navios de missão litorânea de 80 metros, ou LMV, com o quinto navio já lançado pelo estaleiro ST Marine em setembro deste ano. Espera-se que o último dos navios seja contratado em 2020, e eles substituirão 11 navios de patrulha de 55 metros da classe Fearless, que estão sendo retirados de serviço progressivamente.

Desenvolvido conjuntamente pela Marinha e Agência de Ciência e Tecnologia da Defesa de Cingapura, os LMVs são navios de multimissão projetados com flexibilidade e modularidade. Embora modestamente armados, os navios podem ser equipados com uma variedade de módulos de missão, incluindo sistemas em contêineres para executar uma variedade de tarefas de segurança marítima, como contramedidas de minas, assistência humanitária e anti-pirataria.

Os navios também têm uma única rampa de popa gêmea da Palfinger Marine Norway AS usada para o rápido lançamento e recuperação de pequenas embarcações e embarcações de superfície não tripuladas de até 11 metros de comprimento. Os navios também estão equipados com uma plataforma para operação de helicópteros, para helicóptero de porte médio e que pode ser usado para operação aeronaves não tripuladas e/ou helicópteros.

Os LMVs foram recentemente observados com o Indicador Avançado de Declive Estabilizado da Aeronautical & General Instruments Limited na parte traseira da superestrutura do navio para auxiliar nas operações de pouso de helicóptero.

E, de acordo com o tenente Chew Chun Chau, chefe do escritório do projeto LMV, a Marinha está colocando as capacidades de helicópteros do LMVs em teste através de ensaios utilizando os helicópteros Lockheed Martin S-70B Seahawk e o Airbus AS332M / M-1 Super Puma da República da Singapura.

Cingapura atualmente opera seis S-70Bs, principalmente no papel anti-submarino a bordo das fragatas da classe Formbidable da Marinha. Dois Seahawks adicionais foram pedidos e serão entregues no final deste ano, de acordo com David Boey, membro do Conselho Consultivo de Cingapura sobre Relações Comunitárias em Defesa.

No entanto, outra fonte próxima ao programa disse à Defense News que os helicópteros só chegarão em Cingapura no início de 2018. Os Seahawks de Cingapura estão equipados com o radar de vigilância marítima ANP / APS-143 da Telephonics e o Sonar Ativo de longo raio para helicópteros da L-3 Ocean Systems, este último como parte de sua suíte de guerra anti-submarino.

Um estado insular do sudeste asiático estrategicamente localizado onde o ocupado Estreito de Malacca atende o Mar da China Meridional, Cingapura é fortemente dependente do tráfego marítimo comercial que passa por sua vizinhança, que tem como parte dos desafios de segurança marítima incluindo a pirataria.

O país também é um parceiro de segurança dos Estados Unidos e tem sido um forte defensor da presença militar dos EUA na região, hospedando centros de logística para visitas de navios de guerra e aeronaves dos EUA, bem como desdobramentos rotativos dos Navios de Combate de Litoral da Marinha dos EUA.

 

Fonte: Defense News

Tradução e adaptação: Luiz Medeiros

5 Comments

  1. Pingback: Marinha de Cingapura dá “salto quântico” com a adição de 2 navios em serviço. | DFNS.net em Português

  2. Cingapura é basicamente uma cidade ta numa posição estratégica mais é uma cidade mas ao olhar sua marinha da inveja. bom planejamento e está o resultado parabéns para eles

    • Doug385 says:

      Pois é, uma cidade-estado constrói navios de ponta, já um país continente fica, literalmente, a ver navios!

    • Ricardo André says:

      Eu conheço a Cidade-Estado e ela tem o maior número de Ferrari per-capita do mundo. É uma cidade de comerciantes, com um governo sério…

  3. Capa Preta says:

    Cingapura = Liberdade econômica estado enxuto e eficiente.

    Grandão bobão da America do Sul = 45% de impostos sobre o consumo das famílias, estado gigante, inchado e cheio de parasitas come e dorme.

shared on wplocker.com