Categories
América do Sul América Latina Armored Personnel Carriers Defesa Negócios e serviços Sistemas de Armas Vídeo

Infanteria de Marina Mexicana apresenta seu veiculo blindado 4×4 Mack Sherpa Scout.

14290065_758964034207252_6032131419694398014_o_zpstu4kh97q

O  Corpo de Fuzileiros Navais Mexicano (Cuerpo de Infantería de Marina) apresentou seu mais novo veiculo Blindado Mack Sherpa Scout.

14290022_758001177636871_3902440297400043660_o_zpsda1nmh2j

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=fBBs0yWX-cQ[/embedyt]

14361317_757713720998950_2713405150913598402_o_zpskkjxasii

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=0wMW04AUyKc[/embedyt]

Categories
Defesa Destaques Geopolítica Meios Navais Navios Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Vídeo

Porta-aviões russo Almirante Kuznetsov

Fonte: Hoje no Mundo Militar – O Mundo Militar é um canal (You Tube) exclusivamente voltado para temas atuais do mundo militar.

Edição: konner@planobrazil.com

 

Categories
Defesa Infantry Fighting Vehicles Sistemas de Armas Vídeo

Veículo LRV Weasel 2 – Rheinmetall

Edição: konner@planobrazil.com

http://www.planobrazil.com/video-veiculo-blindado-wiesel-2-o-eet4-ogum-do-exercito-alemao/

Categories
Uncategorized

HAITI: Venezuela envia ajuda humanitária as vítimas do Furacão Matthew.

ayuda-venezuela-cuba-sady-barco-goajira

Por  Ghost especial para o Plano Brasil

As Forças Armadas da Venezuela (Fuerza Armada Nacional Bolivariana) mobilizou seus meios navais através da Armada Nacional Bolivariana e seus meios aéreos com a Aviación Militar Bolivariana para enviar ajuda humanitária as vítimas do Furacão Matthew que devastou o Haiti

A Marinha da Venezuela mobilizou os navios de desembarque anfíbio T-63 Goajira e T-64 Los Llanos ambos da classe Capana. Juntos os navios estão transportando mais de 600 toneladas de ajuda humanitária.

despedida-ayuda-cuba-venezuela-sandy-foto-miozotis-fabelo

Segundo declarações do Ministro do Interior e da Justiça Venezuelana e também atual comandante da Guarda Nacional Néstor Luis Reverol Torres a Venezuela esta prestando sua solidariedade ao povo Haitiano. Alem do material de ajuda Humanitária (Comida, Aguá, Colchões e Remédios) a Venezuela também está disponibilizando veículos para a remoção de escombros como tratores, escavadeiras e caminhões. Por sua vez a Força Aérea da Venezuela enviou um avião  Shaanxi Y-8F-200W do Grupo de Transporte Nº6 com 20 toneladas de carga composta por alimentos, água e medicamentos.

ayuda-cuba-venezuela-barco-goajira

Diversos países têm enviado donativos para serem distribuídos às vítimas da tragédia. De acordo com levantamento realizado pelo Escritório Civil de Assistência Humanitária (OCHA – sigla em inglês), da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH – sigla em inglês), existem, atualmente, cerca de 1.400.000 haitianos necessitando de ajuda humanitária.

Categories
Defesa Destaques EVENTOS Infantry Fighting Vehicles Negócios e serviços Sistemas de Armas Tecnologia Vídeo

Leopard 2PL Main Battle Tank – Rheinmetall

A polonesa Polska Grupa Zbrojeniowa (PGZ) e a integradora de sistemas ZM Bumar-Labedy apresenta seu demonstrador de tecnologia com base no veículo LEOPARD 2A4, denominado 2PL LEOPARD na Exposição Internacional da Indústria de Defesa MSPO de 2016. Segundo algumas fontes, a Polônia pretende encomendar 128 destes.

O sistema está baseado em um MBT Leopard 2 A4 Polonês ‘Modernizado’, composto de melhorias adicionais integradas.

Edição: konner@planobrazil.com

 

 

Categories
América do Sul Defesa Destaques Geopolítica Opinião Rússia Sistemas de Armas

“Brasil não tem por que se preocupar com a instalação de bases russas no Caribe”

A notícia divulgada pela mídia brasileira de que o Brasil estaria preocupado com a instalação de uma possível base militar da Rússia na Venezuela causa polêmica.

Enquanto alguns especialistas compartilham a ideia de que o assunto da base russa preocuparia o Governo Michel Temer, outros, como Pedro Paulo Rezende, não veem qualquer fundamento ou procedência na informação. Especialista em Relações Internacionais e em assuntos militares, o jornalista disse à Sputnik não ver qualquer possibilidade de fundamento nesta notícia, que, para ele, não passaria de especulação.

“As informações que eu tenho são de que a Venezuela não está incluída neste pacote de reativação de bases militares russas no Caribe”, comenta Rezende. “As bases seriam reativadas em Cuba, e as negociações com a Rússia avançam neste sentido por serem bases que pertenceram à antiga União Soviética, da qual a Rússia é sucessora.”

O especialista também acha improvável que os russos estejam considerando a possibilidade de instalar uma base militar na Venezuela “no momento em que o Parlamento venezuelano aprovou medidas extraordinariamente duras contra o Governo do Presidente Nicolás Maduro, exigindo a convocação, ainda este ano, do referendo revogatório, o mecanismo previsto na Constituição do país que permite ao eleitorado avaliar o desempenho da Presidência da República.

A situação é extremamente instável na Venezuela e eu até acredito na possibilidade de golpe militar no país, até porque os militares são comprometidos com o ideário político do falecido Presidente Hugo Chávez e parecem estar a cada dia mais distantes de Nicolás Maduro.”

Edição: konner@planobrazil.com

Fonte: Sputnik News

Categories
Destaques Geopolítica Negócios e serviços Rússia

Mercado de petróleo: O modo de ver da Rússia e Arábia Saudita, “estão se aproximando”

O ministro da Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, afirmou neste domingo que os pontos de vista entre o reino e a Rússia, maior produtor global de petróleo, sobre a necessidade de estabilizar o mercado “estão se aproximando”.

“A Arábia Saudita começou a desempenhar um papel importante de coordenação entre a Rússia … e a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), especificamente os países do Golfo”, disse Falih, em uma coletiva de imprensa com os seus pares russos e do Qatar em Riyadh.

“Conseguimos hoje… através de uma reunião comum chegar a uma ideia do que podemos ter em novembro”, disse Falih, referindo-se a uma reunião da Opep em Viena, em 30 de novembro, para quando está previsto que o grupo finalize um acordo de corte de produção.

Novak, que está na Arábia Saudita em sua primeira visita oficial como ministro, encontrou mais cedo os ministros de Energia do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC, na sigla em inglês), que incluiu os importantes produtores do Golfo da Opep Arábia Saudita, Kuwait, Emirados Árabes Unidos e Qatar.

Reem Shamseddine / Rania El Gamal

Foto: Alexei Druzhinin / TASS via Getty Imagens – Vladimir Putin em runião com Mohammed Bin Salman Al Saud / Cúpula do G-20 em Hangzhou, China.

Reuters

Edição: konner@planobrazil.com

Fonte: YAHOO

Categories
Uncategorized

ADSUMUS:Batalhão de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica de ARAMAR realiza Curso de Adestramento de Cães de Guerra

14463161_1101562226594506_2670238275643979707_n

O Batalhão de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica de ARAMAR deu início, em 26 de setembro, à quarta edição do Curso Especial de Adestramento de Cães de Guerra. Com um efetivo de 30 alunos, entre militares da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira, o curso tem como objetivo preparar oficiais e praças para o adestramento de cães de guerra e para o planejamento e emprego da cinotecnia em operações militares.

14516361_1101562263261169_2792211114081338185_n

Na programação, são ministradas disciplinas como: enfermagem veterinária, cinofilia, adestramento de cães, operações com cães e técnicas de detecção. Até o dia 9 de dezembro, data prevista para o término do curso, ocorrerão diversos adestramentos visando reforçar os conhecimentos adquiridos em sala de aula.

14463099_1101562199927842_5820030180817638981_n

Entre as atividades programadas estão: embarque e desembarque de viaturas blindadas, no Batalhão de Viaturas Anfíbias e no Batalhão de Blindados de Fuzileiros Navais; técnicas de rapel e atividades aquáticas, no Batalhão de Operações Especiais de Fuzileiros Navais; embarque e desembarque de aeronaves, na Base de Rádio-Patrulhamento Aérea de Sorocaba; e técnicas de utilização de munições químicas, simulações de intervenção em pavilhão aberto e fechado, controle de distúrbios e detecção de entorpecentes e explosivos, no Grupo de Intervenção Rápida de São Paulo.

14463109_1757012557887364_3011797128052275313_n

Fonte: MB

Edição e imagens Plano Brasil

Categories
Conflitos Destaques Estados Unidos Geopolítica Negócios e serviços Rússia

Moscou prepara resposta assimétrica às sanções dos EUA

Moscou preparou “uma série” de medidas como resposta assimétrica às sanções dos EUA, disse o vice-ministro das Relações Exteriores russo Sergei Ryabkov.

“A política de sanções dos EUA em relação à Rússia continua já por muito tempo. Usamos este período para realizar um trabalho de pesquisa e preparar uma série de medidas que podem ser utilizadas de forma assimétrica”, disse ele discursando na sessão do Conselho de Federação (câmara alta do parlamento russo).

Ao mesmo tempo, Ryabkov acrescentou que a suspensão do acordo sobre o uso de plutônio pode ter um caráter permanente.

“É evidente que a administração atual dos EUA não abolirá as leis mencionadas (inclusive a Lei  Magnitsky – red.), nem levantará as sanções, nem diminuirá a presença norte-americana na Europa em nome da implementação do acordo. Neste caso, a sua suspensão terá um caráter ilimitado em termos de tempo”, disse.

Há que lembrar que, em 3 de outubro, o presidente russo Vladimir Putin assinou uma ordem que suspende o acordo com os EUA sobre a reciclagem do plutônio utilizado em armas nucleares por causa de ações hostis de Washington.

Em abril deste ano, Putin disse durante o fórum da Frente Popular da Rússia que os EUA, ao contrário da Rússia, não cumprem suas responsabilidades no que tange à reciclagem do plutônio militar, mantendo o seu potencial de retorno (em certos métodos simplificados de reciclagem usados pelos EUA, o plutônio pode ser tratado e transformado de novo em plutônio militar ou seja, esses métodos não garantem a irreversibilidade da reciclagem).

Edição: konner@planobrazil.com

Fonte: Sputnik News

Categories
Defesa Destaques Equipamentos Infantry Fighting Vehicles Rússia Sistemas de Armas Tecnologia

T-14 Armata / Munição especial: “Um único disparo, e o ‘drone’ desaparecerá”

O Ministério da Defesa russo começou a realizar os testes de novos projéteis de artilharia capazes de realizar explosões “inteligentes” no ar, de acordo com o jornal “Izvêstia”.

Segundo os desenvolvedores, os cartuchos vão explodir ao se aproximarem do alvo e poderão facilmente destruir objetos de pequeno porte, com poucos centímetros de diâmetro.

“A munição terá um sistema de detonação remoto e inteligente – um pequeno fusível no interior do cartucho, cujo tempo de explosão será definido por computador, dependendo da distância em relação ao alvo”, explicou uma fonte no complexo industrial militar à Gazeta Russa.

Os fragmentos formarão uma “nuvem de metal” capaz de destruir drones táticos de unidades de infantaria mecanizada durante missões de reconhecimento próximas.

“Para derrubar um dispositivo assim com um míssil antiaéreo sai caro; abatê-lo com um rifle de assalto também é difícil, pois o alvo manobra rapidamente no ar”, explica Vadim Koziulin, professor da Academia de Ciências Militares. “Mas, agora, um veículo blindado pode fazer um único disparo, e o drone desaparecerá.”

Inicialmente, as novas munições serão recebidas por veículos de combate da plataforma Armata e blindados de transporte Boomerang. Na sequência, está previsto o desenvolvimento de munições de 30 mm para veículos blindados mais antigos do Exército russo, entre eles as modificações de BMP-2, BMP-3 e BTR-82.

Ainda segundo a fonte no complexo militar-industrial russo, a nova munição será adotada pelos militares em 2020.

NIKOLAI LITÔVKIN

Edição: konner@planobrazil.com

Fonte: Gazeta Russa

Categories
Destaques Economia Negócios e serviços

Bancos se preparam para deixar Reino Unido

Em meio a incertezas sobre Brexit, grandes bancos internacionais devem abandonar Londres no início de 2017, diz presidente de associação de bancários. Segundo ele, pequenas instituições deixariam o país ainda neste ano.

Grandes bancos internacionais devem deixar o Reino Unido no início de 2017, em meio à incerteza sobre o relacionamento futuro do país com a União Europeia (UE) após a saída britânica, declarou neste domingo (23/10) o presidente da Associação de Banqueiros Britânicos, Anthony Browne.

Em artigo publicado no jornal The Observer, Browne afirmou que os bancos menores pretendem começar a se realocar para outros países europeus ainda neste ano, enquanto os maiores têm planos para o primeiro trimestre de 2017. “Suas mãos estão tremendo sobre o botão de ‘realocar'”, escreveu.

Segundo o presidente da associação, as instituições financeiras não sabem se poderão continuar a oferecer seus serviços ao redor da Europa depois de o Reino Unido deixar o bloco econômico, provavelmente em 2019. Por isso, elas já estariam se preparando para qualquer eventualidade.

“A maioria dos bancos internacionais tem equipes trabalhando para analisar quais operações precisam mudar de país para garantir que eles possam continuar atendendo os clientes, além da data que isso deve acontecer e qual a melhor forma de fazer isso”, revelou Browne.

Houve especulações em torno do banco Goldman Sachs, que poderia estar entre as entidades que planejam transferir seus cerca de 2 mil funcionários para outra cidade europeia.

No início do texto, Browne destacou que os bancos internacionais com sede no Reino Unido “mantêm o continente [europeu] à tona financeiramente”, uma vez que oferecem empréstimos num total de 1,2 trilhão de euros a companhias e governos dos demais países do bloco econômico.

Dessa forma, o presidente da associação advertiu que “estabelecer barreiras ao comércio e aos serviços financeiros será prejudicial” para toda a Europa. Ele adiantou ainda que o setor bancário deve ser o mais afetado pelo Brexit, já que é a maior indústria de exportação do Reino Unido.

Alguns políticos europeus já vêm insistindo nas últimas semanas que, se finalmente Londres optar pelo chamado “Brexit duro” – com ruptura radical em relação à União Europeia, incluindo o acesso ao mercado único –, o Reino Unido deverá pagar o preço de sua saída.

No início deste mês, a primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou que vai acionar até o final de março do ano que vem o Artigo 50 do Tratado de Lisboa, que estabelece as regras para dar início ao processo de negociação de dois anos para uma nação sair do bloco europeu.

EK/efe/lusa/afp/ots

Edição: konner@planobrazil.com

Fonte: DW

Categories
Conflitos Estado Islãmico Síria

Batalha por Aleppo na Síria ganha força após fim de cessar-fogo

A batalha pelo controle da cidade de Aleppo, ao norte da Síria, intensificou-se neste domingo com ataques aéreos, ofensivas por terra e bombardeios, na manhã após a volta dos confrontos encerrarem um cessar-fogo russo, disseram um grupo de monitoramento e grupo rebelde.

Houve combates entre insurgentes, o governo sírio e forças aliadas ao longo de linha de frente estratégica a sudoeste de Aleppo. Em agosto, rebeldes invadiram e a faixa de terra mantida pelo governo para tentar quebrar um cerco na porção leste de Aleppo, controlada por rebeldes, iniciado em julho.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos informou haver forte bombardeio por parte de rebeldes no distrito de Hamdaniya, controlado pelo governo, que é parte da frente de batalha.

Ataques aéreos sírios ou russos atingiram um número de áreas controladas por rebeldes a oeste da cidade de Aleppo desde o início do domingo. Ataques também alcançaram o norte de Aleppo e áreas mais profundas no interior da cidade, segundo o Observatório.

Aleppo tem sido um grande campo de batalha do conflito sírio, agora em seu sexto ano. O presidente sírio Bashar al-Assad, apoiado pelo Exército russo, pelas Guardas Revolucionárias do Irã e um conjunto de milícias muçulmanas xiitas, quer tomar controle total da cidade.

A Rússia declarou cessar-fogo unilateral a partir de quinta-feira, o qual foi rejeitado pelos rebeldes e que durou três dias.

Edição: konner@planobrazil.com

Fonte: Reuters