Menu
Seções
Ao vivo: Síria Iraque e Estado Islâmico a Geopolítica do conflito em debate
5 de março de 2016 Conflitos

Acompanhe ao vivo o Hangout será transmitido pelo site do Plano Brasil ao vivo e poderá ser acompanhado pelos leitores que poderão fazer perguntas on line.

Na ocasião haverá um debate envolvendo alguns editores do PB e acadêmicos da área de Relações Internacionais e Geopolítica de Universidades. A temática será a Guerra na Síria e as condicionantes geopolíticas envolvidas.

O Hangout será gravado e poderá ser acessado pelos leitores que não puderem assistir ao vivo.

Participantes convidados:

Jorge Mortean
Doutorando em Geografia Política pela Universidade de São Paulo (USP)
Mestre em Estudos Iranianos pela Universidade de Teerã. – Irã
Geógrafo pela Universidade de São Paulo (USP)

José Ailton Dutra Júnior.
Mestre e Doutorando em História Contemporânea pela Universidade de São Paulo (USP)
Historiador pela Universidade de São Paulo (USP)

Ramez Phillipe Maalouf.
Doutorando em Geografia Política pela Universidade de São Paulo (USP)
Mestre em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP)
Historiador pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)


Tito Lívio Barcellos Pereira.
Mestre em Estudos Estratégicos da Defesa & Segurança pela Universidade Federal Fluminense (UFF)
Geógrafo pela Universidade de São Paulo (USP)

Dia 5 de março às 19:00.

"22" Comments
  1. Boa noite a todos

  2. Assistindo…

  3. O Zé ta falando muito colado no mic e nao se escuta direito.

  4. Boa noite a todos !

  5. Concordo

  6. Boa noite a todos sejam bem vindos, enviem aqui suas sugestões.

  7. Enviem sugestões e Perguntas

  8. “Milagrosamente” esse ano foi visto a volta do Irã ao cenário mundial de forma oficial, e pela entrada da Rússia na Síria, o que podemos esperar das proximas décadas sob a luta de influencia na região? Levando-se em conta a resistencia turca e saudita.

  9. Pingback: Ao vivo: Síria Iraque e Estado Islâmico a Geopolítica do conflito em debate | DFNS.net em Português

  10. Boa noite!

  11. Boa noite seja Bem vindo
    Comentários e Perguntas são bem vindos

  12. Olá
    Seria prudente citar Fareed Zakaria como referência para o tema aqui apresentado mesmo após ser flagrado duas vezes apresentando, na CNN, análises sobre política internacional copiadas de outros acadêmicos e apresentados como seu e tendo até se desculpado posteriormente pelo que fez?
    Abs

  13. Cheguei no finalzinho…

  14. Excelente hangout! Muito esclarecedor! Será, com certeza, compartilhado!

    Parabéns pelo trabalho! 🙂

    Abraços!

  15. Muito bom, menos a participação do zé, horrivel o seu audio.

  16. Pena que o audio não é de boa qualidade.

  17. Boa noite a todos, estou ouvindo!

  18. Cheguei um dia atrazado!

  19. Olá pessoal! Assisti o hangout ontem, boa iniciativa! Notei certa tendencia antiamericana em algum debatedor, coisa que é normal. A História é escrita de acordo com a visão de mundo de quem escreve e muitos bebem em fontes de historiadores antiamericanos. No próprio Oriente Médio, na Idade Antiga, os Judeus sofreram ataques dos hititas se entrincheirando até eles irem embora. Os historiadores Judeus cantaram vitória dizendo que os venceram pelo cansaço. Os historiadores hititas também cantaram vitória dizendo que destruíram várias aldeias escravizando muitos deixando uns judeus que não valiam o esforço, entrincheirados, para trás. Portanto um historiador pode tomar partido de um dos lados ou pode fazer um balanço entre as duas partes, ou mais partes, chegando a uma conclusão lógica. Um contra argumento: a derrota do Japão e da Alemanha para os americanos/aliados e o alinhamento dos tigres Asiáticos e Europa Ocidental no pós Segunda Guerra Mundial, com os americanos, só trouxe avanços e desenvolvimento aos citados. Por fim, no Oriente Médio o pau sempre quebrou, até mesmo quando só tinha aquele terreno árido por que lutar, não seria pela ausência americana que mudaria isso, talvez fosse pior, todos guerreando para controlar o petróleo do golfo, mas o mais provável seria uma outra potência ocupando o lugar. Até mais ver…

  20. No meu achar das coisas, o Iemen não esta totalmente abandonado
    Iran age fortemente.

Comentários estão fechados
*