Defesa & Geopolítica

Comandante da OTAN na Europa não exclui solução militar da crise ucraniana

Posted by

O comandante militar das forças dos EUA e OTAN na Europa, general Philip Breedlove, manifestou durante a Conferência de Segurança de Munique que os países do Ocidente não devem excluir a possibilidade de uma solução militar do conflito no leste da Ucrânia.

Porém, ele acrescentou que se trata somente de ajuda à parte ucraniana com armamentos e equipamento militar, mas não com forças de combate, divulga a Reuters.

Breedlove frisou que não está sendo considerada qualquer operação terrestre da OTAN no leste da Ucrânia.

A Reuters escreve que, segundo o comandante da OTAN na Europa, o plano do presidente russo Vladimir Putin para uma solução da crise ucraniana é “absolutamente inaceitável”.

Kiev está realizando desde meados de abril uma operação militar para esmagar os independentistas no leste da Ucrânia, que não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas chegadas ao poder em resultado do golpe de Estado ocorrido em fevereiro de 2014 em Kiev. Segundo os últimos dados da ONU, mais de 5.000 civis já foram vítimas deste conflito.

Desde 9 de janeiro, a intensidade dos bombardeios na região aumentou, bem como o número de vítimas do conflito.

O Ministério da Defesa da Ucrânia anunciou que as Forças Armadas ucranianas estão a aumentar os efetivos em todas as zonas onde ocorrem combates. Os independentistas, por seu turno, declararam que fizeram “avançar a linha da frente” para evitar os bombardeios de zonas residenciais das cidades por parte do exército ucraniano.

A Rússia considera que os últimos acontecimentos na região de Donbass comprovam os piores receios: Kiev tenciona resolver a situação por via militar.

Fonte: Sputnik

 

 

4 Comments

  1. Julio Brasileiro says:

    Nos preparemos, a III guerra mundial vem aí, e não haverá neutralidade. Todos seremos arrastados para ela, de uma forma ou de outra.

    • PÉ DE CÃO says:

      correto !! por isso investimento nas forças armadas tem que entrar em acelerado ,pois não queremos ser bucha de canhão ,como fomos na segunda guerra mundial !!!

  2. Guga says:

    Não acredito que a OTAN irá peitar a Rússia de frente. Há muito em jogo, a Europa ainda é dependente do gás russo e das compras da Rússia em produtos manufaturados da Alemanha e França.

    Já ficou mais do que evidente que trata-se de uma pressão muito mais norte-americana do que europeia estimulando uma escalada no conflito.

    Não vai dar em nada no médio/longo prazo.

  3. helveciofilho says:

    Mas que surra hem … rsrsrsr …logo dos bebuns .. Hahahahah ..

shared on wplocker.com