Menu
Seções
MBT Brasil- O futuro Carro de Combate do Exército Brasileiro
5 de janeiro de 2014 Artigos Exclusivos do Plano Brasil

 

Diapositivo1

E.M.Pinto

É de se supor que muito em breve o Exército Brasileiro dará início aos estudos e trabalhos de desenvolvimento do seu futuro carro de combate principal.

Diante disto e atendendo a uma série de pedidos dos nossos leitores, o Plano Brasil em colaboração com o trilogia Warfare iniciará uma série de reportagens e análises dos principais carros de combate hoje existentes, serão apresentados aqueles que julgamos serem os potencias veículos a uma hipotética substituição da arma blindada do exército Brasileiro que deve sofrer modificações na próxima década.

As reportagens visam apresentar os principais aspectos e peculiaridades dos mais recentes projetos de MBT hoje existentes. Deixamos para o público em geral as discussões a cerca dos modelos ideais, “as melhores máquinas”, “vantagens” e “desvantagens” dos projetos.

Na série de reportagens serão apresentados os veículos:

 

 

 

 

 

"69" Comments
  1. A apesar de não esta na lista, mas a pergunta que não quer calar sera:
    _E o Osorio ?

    • Então Não seria melhor o Exercito Iniciar os Estudos e pesquisas para a crianção de um MBT Pesado Totalmente nacional produzido e desenvolvido aqui, assim como foi com o Osório. Porem o Osório e um tanque dos anos 80 ja estaria defasado para o atual senario de guerra Moderna, mas poderiamos aderir ele como bases para talvez um novo Tanque Pesado Nacional

      • Também penso assim, apesar do Osório ser um tanque dos anos 80 podemos usá-lo base,coloca-lo para ”malhar” e desenvolver um produto nacional, temos capacidades e tempo para desenvolver esse projeto !

    • Sobre o Osório vi uma coisa intrigante a algumas semanas.
      Navegando por um site de vídeo, acabei acompanhando alguns vídeos de um MBT criado pela Vickers no início da década de 1990, e que estava sendo oferecido aos ingleses. Qual não foi a minha surpresa ao ver que o MBT estava com “a torre do Osório”!!! Pena que não guardei o link.

      Sobre a associação com o “Campo de Batalha” acho muito produtiva. Apesar de não concordar com algumas opiniões do Carlos E. S. Júnior (editor), tenho que reconhecer que faz um excelente trabalho de informação.

      E também acho que deveria ser incluída na lista o Osório para fins de discussão de uma opção doméstica.

      Bem claro: opção doméstica, não ressuscitação.

      • Adicionando

        Será que falar sobre o Armata também não seria interessante, apesar de estar só no papel ainda?

    • Será porque o “Osório” era quase todo importado ou de multinacionais por aqui…

      Tem muitos dados técnicos na internet…mas não vou falar nisso!!

  2. por LUCENA
    .
    .
    .
    Uma coisa é certa,o carro de combate deverá ser facilmente erotransportável que possa ser levado pelo KC-390.

    • MBT com 20 ton? Acho improvável.

      Mais fácil adquirir cargueiros pesados, coisa que precisamos mesmo sem MBT.

    • Mostras que és palpiteiro fraquinho, MBT de 20 ton. kkkkkkkk

      MBT de verdade o KC390 tem que fazer 3 viagens.

      • Esta é uam questão bastante interessante, por isso os pesadões, ao meu ver, estão fora.
        penso em algo entre 35 e 45 ton. ainda sim rogério, isto faz necessário um transportador da classe do C 17, Il 476 ou do futuro Y 20.

      • Eu acho que esse MBT terá seu peso pensando no A-400. No mais eu não faço a mínima ideia de como se pode “desmontar” um MBT pra transportá-lo. O motor dá pra tirar fácil (~1 tonelada), talvez algumas partes da blindagem. A torre pode ser tirada facilmente?

      • fiz esse comentário de gozação, qualquer montagem e desmontagem se faz necessário pesado maquinário de içamento e de soldas especiais, só na fabrica mesmo. Alem do mais a vantagem de ser aerotransportado é poder colocar o carro de combate direto no fronte de batalha, de outra forma o melhor deslocamento seria por trens.

      • li uma vez que a questão é mesmo a malha ferroviária, e por isso o peso ideal seria o do EE T1 Osório, entre 38 e 41 ton, mas acho que o nivel de proteção dele, para os padrões de hj seria considerado defasado. Acho dificil algo de primeira mais leve que o Leclerc, com menos de 50 ton.

      • Blue Eyes, Na Resistência

        Coitadinho… é só um frangote palpiteiro de baixa estirpe… não aprendeu que onde não se entende não se mete… faltou educação básica… não ouvirão de mim palpites onde não manjo nada… tenho vergonha na cara… esse ai, parece que não tem… mas nesse caso, sei que um MBT que se preze tem no mínimo o dobro do peso que o fulaninho propôs transportar no KC390… rsrsrsrsrsrs…

      • zoinho catarata o titulo de mais errado no plano brasil continua sendo seu ,voce é insuperável em matéria de errar e falar bobagens !!!!!

      • Blue Eyes, Na Resistência

        O dia que eu quiser agradar PETRALHA pode me internar que tô doidinho… 🙂

  3. Antes desse possível programa ter o ser ”start” .. primeiro o EB vai ter q definir o seu futuro Guarani 8×8 (2015 provavelmente ) .. pra depois partir pra isso … A tendência natural e q seja escolhido o leo 2 A-7 .. a KMW tem forte interesse nisso .se instalou aki visando isso ….. 250 leo 1a5… + 36 gepard a preços ” camaradas”. e uma aproximação firme e boa para o Brasil ….o resultado pode ser o ”’Osorio II”.(batismo).. algo como um ”Leo2 A8”… tão moderno e letal quanto um A-7.. porem mais leve …. o tempo dirá… num chute se esse possivel programa se tornar realidade .. acredito q o EB ira comprar cerca de 350 MBT ..fora suas variantes ….

  4. PORQUE NÃO REMASTERIZAR O EXCELENTE OSÓRIO, CONSERVANDO A ESSÊNCIA DO OSÓRIO E APLICANDO AS NOVAS TECNOLOGIAS, É UM CASO PARA PENSAR, PLANEJAR E EXECUTAR.

  5. EM Pinto, faltou o caro mas muito bom, Leclerc francês.

    • Tássios, faltaram vários MBT, mas sinceramente não creio que o Leclerc se configure como um candidato, mas obrigado pela sugestão, nós o inseriremos.
      abraço
      Edilson

      • Realmente parece que o Leclerc não vai te chances nessa futura concorrência, realmente uma pena, esse MBT é absurdamente moderno uma maquina que deixa qualquer um babando.
        Só tenho uma palavra para esse MBT; fantástico!

      • E na minha opinião tem tudo para cair no colo do alemão leopard 2, outro MBT impecável.

      • Não gostaria de tecer comentários, mas acho que uma variante do 1A5.
        Ou quem sabe outros veículos de outros fornecedores.
        Abs

      • Uma atualização, como a que o exército canadense usou na invasão do Iraque.
        Ia ser a seguinte opção a mais barata! Compra um lote de 200 peças de leo 1a5 ou 6, outro lote de M60A4 uns 150 a 250. Manda os M60A4 pra Israel pra voltar atualizado como Sabra mk3, os Leo atualiza no Rio Grande do Sul KMW e fazer uma espécie de (leopard 1C3).
        ).

  6. luiz anselmo pias perlin

    Gostaria que foce um tamque puramente Brasileiro ate porque ja demos prova de que capascidade para desenvolver e construir tal aparato e que não ficou atras de nenhum ja foi dada e geraria empregos aqui no BRASIL.

  7. E já que o assunto é carro blindado, vai um link que achei hoje sobre uma proposta russa de um veículo… diferente. Parece coisa de DJI I JOE (o brinquedo), mas é um conceito bastante interessante.

    https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Lgcth8BXOSk

    • E bota interessante nisso. Show de bola

    • conceito muito legal esse dos russo imagina 2 mil desse apoiando a infantaria no combate urbano, eles vão na frente abrindo caminho

    • Olhando esse vídeo eu pensei,no Brasil não tem projeto de veiculo terrestre autônomo?
      Alguém sabe de um projeto brasileiro desse porte?

      • Olá Felipe Rodrigo

        Esta é uma boa pergunta. O mais próximo que li sobre o tema foi sobre as equipes que participam em competições internacionais de robôs. Chegamos a vencer algumas inclusive, mas se não me engano o material é fornecido pelo promotor do evento.

        Abs

  8. Quando este PROVAVEL mbt entrar em serviço, 2055 , o imperio ja terah MBTs flutuantes utilizando o eletromagnetismo e laseres !

  9. Sobre o Osório “projeto totalmente nacional”, a casca era nacional mas os canhões não (canhões porque tinha dois 105mm inglês para nós, e o 120mm francês para exportação), e seus sensores também não eram fabricados no Brasil. Era mais ou menos um Gripen da vida.

    O novo blindado deve seguir os passos do Osório, acredito que o que poderia ser fabricado no Brasil do Osório será fabricado para o novo MBT aqui também. Então seja escolhido um M1 A2 ABRAMS ou o próprio Osório não muda muita coisa. A vantagem é que como hoje somos muito mais avançados podemos mesmo com um projeto estrangeiro ter um MBT mais nacional que o próprio Osório de 1980.

    • Penso o mesmo, projetamos um chassi para 80t (não significa que o chassi ou o próprio MBT terá os respectivos 80t), pode ser exagero mais irá suportar qualquer adição de blindagem ou mudança da própria torre no futuro, perfil angulado uma liga de nano-tubos de titânio ou tungstênio. Um projeto de torre angulada nade de superfície totalmente vertical.
      O resto pode ser comprado lá fora ou feito aqui mesmo. Quase um Altay da vida.
      Uma proporção de pelo menos 25hp/t. Atingir de (0~32 km/h em 5 seg), (80km/h on-road max speed) e (60km/h off-road max-speed) e tá bom demais. “Unmanned remote controlled turret weapons station”, “Hydropneumatic active suspension”, “Continuously Variable Transmission”.

      Tem de ser auto-loader e potência sobressalente do motor, se não, sem chance. ^^.

      Ninguém vai ler T_T.

  10. Objetivo desse tópico e tacar gasolina na fogueira que rufem os tambores a guerra dos Fanboys está declarada.

    Futuro dos MBT’s, como eu já falei no blog é combate-urbano rara serão as vezes que entraram em combate em campo aberto como na WW2.
    Primeiro no meu Top de MBT’s, Mobilidade, Poder de Fogo, Autoloader, APS, estação Remota do comandante. Não vou falar em visão termal pq isso já é padrão.

    Porra forço a barra ser levado pelo KC-390, só guarani tank-destroyer.

    A tendência é so aumentar de peso mais nada que passe as 70t. Leopard 2A7 sempre ditando o limite para peso.

    Mais um adendo rico será aquele exercito que conseguir um pouco da experiencia dos tankistas da SAA de T-72AV, em combate urbano se tornaram os melhores do mundo. Se achas que to de zuera Provas Não Me Faltam. e como tenho dito Assado ainda não caiu por causa desses destemidos homens que se recusam a deixar seus MBT”s mesmos estes avariados e incapacitados de se defender.
    Uma amostra do carinho por parte de algumas crianças que brincavam sobre um T-72AV da SAA todo fudido de tanto combates interruptos, foi das mesmas amarrarem seus brinquedos favoritos na saia lateral do tank e dizendo aos pilotos que aquilo iria protege-los. Lagrimas me escorreram o rosto assim como dos tankistas e repórteres ali presentes. Credit. ANNA News.

    Huahauhauhauhauhauauahahah.

    1º – AMX-56 Leclerc.

    2º – HYUNDAI ROTEM K2 BLACK PANTHER.

    3º – ISRAEL MILITARY INDUSTRIES – IMI MERKAVA IV.

    4º – Type – 99 KM. Pra ter vai precisar entrar no projeto com os Sinos.

    Ninguém vai ler T_T.

    • “SAA de T-72AV, em combate urbano se tornaram os melhores do mundo. Se achas que to de zuera Provas Não Me Faltam.”

      Que piada!

      • Man não quebre a cara!
        Contradiga os cara do PK defence forum, Army recognition forum e Indian defence forum, tank net e Russian Military Forum. Lá não tem espaço pra palhaçada.

        Mais, respeito sua opinião afinal somos livres, democráticos e o mundo é multipolarizado. O senhor acha assim o resto acha de outro modo.
        Se te mostrar tu vai ter que admitir e antes que eu faça isso lhe dou a chance de repensar no que digitara meu caro insolente.
        Vem picha meu comentário não peixada. Prove que estou errado e coloque as provas.^^

        Sds. MalExGrimmjow.

      • Sei que você está errado, e todo mundo que entende de tanques também.

        O T-72 e T-90 são frágeis em comparação aos M1A2 e Leoipard 2, além de serem mais lentos e terem um canhão muito menos preciso.

        Como sempre você nem sabe do que está falando. Os próprios rusos disseram que preferiam lutar combates urbanos com os T-55 que eram menores e mais fáceis de manobrar entre os prédios.

        Os T-72 são granadas gigantes que matam toda a tripulação e infantaria que estiver por perto. Todo mundo sabe disso!

        Foi assim, no Iraque, na sérvia, na Chechenia e é assim na síria.

      • Man pra ti calar a sinueta o abrams e leopard são absurdamente grandes se comparado aos T-72.

        Man minhas provas não vão sair do youtube, quando tiver tempo visite ANNA News.

        Tu não entende nada de MBT.
        Talvez seja melhor comentar apenas de caças, acho que vc se sairá melhor.

        Ignorância mata meu caro.

      • leia-se Silhueta**

      • Para seu divertimentos eles tem horas de T-72AV com Go-pro tomando chumbo, nunca falei que são os melhores MBT’s de combate urbano já sua tripulação provavelmente.
        Tripule um MBT da década de 80 faça oque eles fazem e depois volta aqui pra trocarmos uma ideia.

        Tu entende mais que gringo veterano de Abrams no Iraque?

        Visite Tank Net recomendo.

        Lá tem até uma caculadora de inclinação de blindagem e seu resultados.

        http://www.youtube.com/watch?v=62kT1WFwrAw

        Assista em torno dos 9 min tem legenda só traduzir para o português.

      • o MalExGrimmjow esta falado sobre a experiencia dos tripulantes do T-72AV, ele disse que a tripulações que e uma das melhores do mundo, não esta falado que o e T-72AV e o melhor tank do mundo, sabe nem ler e nem interpretar

      • Ferio

        E quem disse para vocês que as experiências dos russos na Chechenia e dos americanos no Iraque não foram maiores que as dos sírios?

      • Quantos anos de Guerra irregular com verdadeiros ataques maciços e assaltos diários do inimigo vc viu no Iraq ou Chechênia?! A situação muito se assemelha-se com o Vietnam.
        Man veja o vídeo e para de fazer gozação.

  11. Parabéns ao EB, por começar a ver a necessidade de um MBT Brasuca, espero q 2014 seja de fato um ano atipico p o n BRASIL no quisito segurança…Sds.

  12. Quando se fala de blindados desse tipo , pesa-se imediatamente na tradição , experiência e tecnologia alemã .
    A Finlândia (Otan) está escolhendo o seu Leopard 2A6, e ela em caso de conflito seria a primeira a encarar os temíveis tanques Russos .
    O problema do MBT Br seria se transformar num FX-2 com decisões de uma gestão desastrosa como de costume .

    Copa ,Olimpíada e véspera de eleição como exemplo de tipo de influências.

  13. acredito muito que esta parceria sera feita com os alemães.

  14. Leo 2A7 ou Ariete, para manter o parque industrial ocupado, com leve tendência ao Ariete pelo peso menor.

  15. O KC390 não prevê o transporte de MBTs, mas do Guarani, e LMVs, acredito que estes MBTs serão entregues a Otto Melara, e Iveco. Apesar que os Leo 2 seriam o melhor carro de combate para o EB.

  16. mais uma vez o governo federal da possibilidades para que o brasil avance
    mas eu gostaria que além dos blindados ,um apoio aéreo com helicópteros de ataque
    pois a nobre infantaria merece um apoio aéreo que limpe o terreno para os blindados e a tropa

  17. Amigos,

    Sinceramente, cada vez mais vejo menos lógica em carros de combate pesados… Não importa quão poderosa seja a proteção do carro de combate. Ele jamais terá proteção suficiente para segurar os novos mísseis que estão entrando em operação, além de armas de energia dirigida, que aos poucos se tornam realidade…

    Com a adoção de mísseis portáteis em larga escala, melhor que se privilegie a mobilidade ao invés da proteção blindada, com as defesas das formações mecanizadas ficando a cargo de mísseis e, futuramente, do laser.

    Em suma, creio que em campo aberto, Guaranis ou BMPs ( dotados de armamento de cano e mísseis ) protegidos por Tunguskas ( e futuramente por Laser Tático; ou MTHEL ) poderão ter tanta valia quanto MBTs igualmente protegidos… E se for para lutar em ambiente urbano, um soldado a pé portando um RPG poderá ter mais valia que um T-90… Exemplos como os sucessos de misseis kornet na Síria provam essa linha de raciocínio…

    E embora acredite que MBTs ainda tenham bom uso ( principalmente em ambientes abertos ), creio que veículos que possam ser adquiridos em grande quantidade seria o mais lógico… Afinal de contas, quem domina mais território? 100 M-1 Abrams ou 500 T-72? Quem representa a maior quantidade de alvos? Quem daí vai ter que gastar mais mísseis ( e mais dinheiro ) pra vencer…? Enfim, muito valerá a quantidade.

    No meu entender, a única grande vantagem para ainda se utilizar MBTs seria sua capacidade de percorrer terrenos mais acidentados levando armamento pesado, mas como na maioria das ocasiões se combaterá em terreno favorável a melhor mobilidade, a necessidade de carros de combate irá cair bastante; ainda mais somando como variável a possibilidade de se adaptar mísseis anti-carro em veículos de qualquer natureza…

    • Muito bom RR,
      Concordo, muito grande, muito pesado, lento … um grande alvo .
      O colega falou uma verdade, dependendo do preço, melhor seria helis bem armados com com boas contra medidas, mas eles os blindados sempre existirão , como os navios de superficie .

      • Mano só vc te falar uma coisa nem os EUA nem Russia nem mesmo China farão isso, uma coisa e voar até o terreno deixar as tropas e sair ou atacar os alvos selecionados pela infantaria mais para isso vc precisa de superioridade aérea, fora que sai muito mais caro operar um heli são horas de manutenção, condição do tempo para um voo seguro e contar com um ambiente livre de saturação de MANPAD’s. Ou seja pra manter o terreno precisar ser um blindado.

        Tudo é uma questão de calculo um MBT pode acertar um alvo em movimento a quilômetros de distância. Apenas um MBT pode colocar um batalhão inteiro de guaranis em chamas se bem posicionado no campo de batalha. Logo vemos a desproporção e gasto elevado para manter uma frota tão grande de veículos ligeiros.
        Significa o barato que sai caro.

      • Caro amigo stadeu,

        A utilidade está, no mínimo, na presença… Quando se fala em exercício de soberania, mostrar bandeira é fundamental… E para levar a bandeira, sempre será necessário algo que faça valer a presença do Estado como forma de dissuadir potenciais agressores; algo que realmente cause uma tremenda impressão e faça o inimigo pensar duas vezes… E isso não se consegue somente com submarinos ou aeronaves sobre mar; ou somente soldados a pé ou helicópteros, no caso de forças terrestres…

        Dominar o espaço aéreo é sempre fundamental, mas ainda hoje as guerras são ganhas pelas forças terrestres que dominam o terreno abaixo. Por tanto, haverá sempre a necessidade de forças consideráveis no chão, com componentes mecanizados para dar suporte as ações de infantaria, ou sendo eles mesmos a ponta de lança de uma ofensiva terrestre ( veículos de alta mobilidade protegidos por meios como os Tunguskas, como citei acima ). Helicópteros, evidentemente, terão o seu lugar, mas como artilharia aérea para as forças no solo, e não como a única vanguarda de uma ofensiva; ainda mais hoje, com a generalização do uso de MANPADS…

        Em outras palavras, não ha melhor forma de dissuadir um agressor que ter forças no chão altamente mecanizadas, dotadas de grande mobilidade, e com bom suporte aéreo. E dentro disso tudo, eu apenas acredito que MBTs terão menos utilidade prática… Mas ainda assim, em grande quantidade, ainda serão uma força a ser temida simplesmente por existir; por ter que obrigar um potencial adversário a desviar uma parte considerável de seus recursos para caça-los e neutraliza-los… Afinal de contas, se lhes for dada a liberdade de ação, poderão fazer o caos, independente de serem ou não obsoletos…

        No caso do mar, a necessidade dos meios de superfície se encontra no auxilio do domínio do mar, negando o espaço aéreo e o uso das águas ao mesmo tempo, coisa que submarinos não fazem… Por isso que destróieres, fragatas, corvetas e outros continuarão a existir no futuro previsível; e tal como os MBTs, apenas a presença deles já poderá ser suficiente para dissuadir um agressor…

        Saudações.

    • Grande _RR_.

      As defesas dos blindados já estão melhorando e hj, por exemplo, um infante apontar um Javelin para um Merkava dentro de uma construção ou no alto de uma colina é quase suicídio, pós na hora de direcionar o laser, em questão de milissegundos o sistema alertará a tripulação e dará a posição do marcador com uma precisão absurda de 99,5%, dando chance para o mesmo lançar suas contramedidas necessárias para bloqueio do sinal, por ultimo o sistema hard-kill poderá se necessário interceptar o Javelin, inclusive com múltiplas ameaças o sistema APS se deu muito bem até com tiros de armas anti-tanque a curta distância com eficiência beirando os 80%.
      Inclusive o Merkava pode interceptar alvos como aeronaves voando baixo, sendo desenvolvida uma variante do “Lahat” para interceptação aérea beirando os 4 km de alcance, podendo atingir alvos em manobras de até 4,5G. Metade das guerras vencidas por Israel se deve muito mais aos MBT’s, do que em sua Força Aérea, bom quanto a avançar com veículos leves basta ver como o Egito se saiu na Guerra do Yom Kippur, quantos IFV’s foram perdidos.
      Esses monstros blindados enchem o coração do infante de moral pós sabe que tem proteção e para o infante inimigo o terror do avanço por terra assim como a artilharia. Antes que venham me trucidar, tem todo um sistema de apoio por traz não vamos nos esquecer.

      Sds.MalExGrimmjow.

      • Provavelmente num futuro próximo teremos MBT’s totalmente remotos.

      • Respondendo aos dois colegas, todos os sistemas se complementam, ninguém será dispensável.

        http://www.youtube.com/watch?v=B1At28mhH-I

      • “um infante apontar um Javelin para um Merkava dentro de uma construção ou no alto de uma colina é quase suicídio, pós na hora de direcionar o laser, em questão de milissegundos o sistema alertará a tripulação e dará a posição do marcador com uma precisão absurda de 99,5%, dando ”

        O javelin não usa laser, é um sistema dispare e esqueça guiado por imagem térmica. E se usar laser como telêmetro os atiradores podem mudar de posição em poucos segundos.

        Viu como você não sabe do que está falando.

      • Peço desculpas aos demais leitores que tiveram a oportunidade de ler meu comentário cometi um engano e informei que o Javelin era guiado a feixe laser, como o caro senhor Deagol me corrigiu guiado por IR system fire-and-forget.

      • Olá, MalExGrimmjow.

        Misseis anti-tanque não precisam ser necessariamente guiados por laser… Pode ser rádio/controle, infravermelho, por cabo, e até mesmo por radar ( como o MSS-1.2, que possui um radar ativo como redundância a orientação por laser )… Creio que se for disparado a uma distância de mais ou menos uns 500 metros, praticamente não haverá defesa…

        Concordo que um carro de combate dá moral, mas ver MBTs sendo explodidos por um único soldado com algum míssil de mão, pode dar mais moral ainda…

      • Caro _RR_.

        O sistema trophy conta com um radar de cobertura o mesmo é tão eficiente que pode identificar rodadas KE.(não disse que consegue intercepta-las).
        Todas as armas convencionais em uso fora projetos em desenvolvimento, disparadas de ombro ou estacionarias de infantaria foram interceptadas pelo sistema hard-kill, Inclusive o Hellfire disparado pelo apache israelense, porém são fontes distintas israelenses e nenhuma fonte oficial, quanto ao Maverick não tenho dados. Não é necessário um feixe laser para que o Trophy identifique a posição do atirador o sistema integrado com o radar Elta EL/M-2133 já o faz, os resultados de 2013 impressionaram até mesmo os americanos.
        O mesmo está em desenvolvimento constante e no futuro planejasse que intercepte rodadas disparadas por outro MBT’s tais como KE e HEAT, houve um sucesso em interceptar rodadas HEAT de 120mm, porém estes foram na proporção 1/20, resultado muito insatisfatório, por enquanto.

        A vários sistemas de APS estão sendo desenvolvidos para plataformas blindadas, ou seja, MBT’s ainda vão durar um bom tempo nos teatros presentes e futuros.

  18. Concordo com a matéria, acho muito pouco provável que o Brasil adquira algum modelo standard, está mais para desenvolvermos uma versão melhora, ou quem sabe “piorada” (mais leve, com menos blindagem) de algum destes modelos, até porque será preciso justificar a TOT, e com um modelo padrão não existe desenvolvimento algum, é apenas produção local.

    Primeiro ponto que precisa ser levado em consideração é o peso, meu palpite é que o peso deste novo MBT ficará entre 45 t e 55 t, não mais que isso.

    Acho que a bola da vez é a KMW com uma versão mais leve do Leo 2, ou uma versão melhorada e mais pesado do Leo 1. Meu palpite é 50% de chance.

    O segundo colocado nessa disputa seria o T-90, é um MBT moderno e já estaria dentro dessa faixa de peso, sem falar que as relações com a Russia vão muito bem, quem sabe o Brasil prodiziria e exportaria uma versão ocidentalizada do T-90, 30% de chance.

    Minha terceira opção seria o Merkava, o bicho é um mostro, mas poderia ter uma versão mais leve, cooperação com Israel também seria relativamente fácil e bem vista pelo MD. 15%

    Meu último palpite é também o que eu considero menos capaz, menos avançado, com menos know how para ser oferecido ao Brasil, estou falando do Ariete, não descarto a possibilidade de vermos ele por aqui por casa da planta de Sete Lagoas, 5% de chance (e torcendo para não se realizar)

    Com relação a quantidade, acredito que o lote inicial seria de 200-250, com possibilidade para um segundo lote de igual quantidade, um terceiro lote apenas em sonhos.

  19. Pra mimo conceito de MBT é já ultrapassado… acho que o futuro os americanos mostraram qual é, com o RIPSAW!

    Leves, fáceis de produzir, podem ser usados em Drone Mode e não tem problema em perder muitas unidades, podem ser usados até mesmo como objetos descartáveis devido à fácil produção… NÃO PRECISAM DESSA BLINDAGEM E PESO TODOS…

    O conceito Ripsaw é novo até nisso de sobrevivência no campo… eles não precisam sobreviver no TO!!… tem fácil produção em massa e custo mais baixo que os de um MBT… EXISTEM PRA CAUSAR DANOS AO INIMIGO COM CENTENAS OU MILHARES DE UNIDADES NO CAMPO INDO PRA TODOS OS LADOS, com velocidade e agilidade acima do que vemos nos MBT… com misseis ou canhões não raiados… sem tripulantes, que estão em um Contêiner a milhares de KM de distancia!

    É novo demais por isso mesmo até quem conhece de TO tem dificuldades a ver todo o potencial acho eu… e então imagina eu que não conheço de TO né… não consigo mesmo!

    Um míssil anti-carro lançado do Ripsaw em máxima agilidade não deixa muita margem de sobrevivência pros MBT… mas isso ainda tem que ser visto direito mesmo.

    Perder uma, dez ou cem unidades conta relativamente… Com centenas e milhares de Ripsaw rumando em todas as direções, correndo como correm e viram agilmente, teriam alguma vantagem no campo?? MATARIAM O MBT QUE ATIRA NELES??? O numero elevado, baixo custo e fácil produção contam a favor deles??

    Os Ripsaw mandariam os infantes da VTP que fazem a guarda das colunas blindadas pras cucuias estando ALGUMAS UNIDADES armadas com canhões 20-30 mm e mais .50 gatling… E faz ainda mais estrago com outras unidades armadas com mísseis anti carro mandariam as colunas pro espaço, e isso sem falar nas unidades com misseis manpad… e isso ainda sem ninguém dentro!!

    E em numero bem alto.. lembre-se, não precisam sobreviver, podem perder alto numero pois tem fácil produção… MAIS FACIL DE PRODUZIR DO QUE UM MBT e nem mesmo chegam na metade dos custos…

    Então pra mim MBT é coisa do passado!!

    Pra ver conhecer o conceito e ver a agilidade nos testes iniciais vá na 4° parte do documentário que posto no Blog no link abaixo, coisa velha, de 2011:

    http://francoorp.blogspot.com.br/2011/01/ripsaw-novo-conceito-de-carro-armado.html

    Valeu!!

  20. Também sou da opinião de que MBT são um conceito “meio” ultrapassado também prefiro veículos rápidos e bem armados trabalhando em conjunto com helicópteros de ataque.
    O Guarani 8X8 com blindagem resistente a munição 30mm (lembrando que a blindagem pode ser melhorada a qualquer hora com a adição de placas) armado com canhão 120mm (capaz de laçar misseis) e em quantidade me agrada muito mais que qualquer MBT.

  21. Se fosse por votação o meu vai para o MERKAVA!!

  22. Por Que se recusar a evacuar o MBT? tankistas da SAA estão me surpreendendo cada vez mais, é como, “Um capitão afunda junto com seu Navio”.

    Eis o vídeo que prova oque eu digo tem legenda pessoal, mesmo traduzida está bem compreensível.

    http://www.youtube.com/watch?v=rZw0mwaIMD4

Comentários estão fechados
*